sexta-feira, 29 de janeiro de 2010

ISRAEL: Enchentes no Neguev e no Aravá

As enchentes que cobriram o Neguev e o Aravá nos últimos dias foram as maiores ocorri-das em muitos anos. Se por um lado testemunhamos cenas fascinantes de correntezas cortando o deserto e de estradas transformadas em rios caudalosos, por outro lamentamos a perda de vi-das humanas e os graves danos causados às infraestruturas. Os corpos de duas pessoas que morreram afogadas nas violentas torrentes foram posteriormente retirados da água. Estradas de acesso a várias localidades, assim como a campos agrícolas, ficaram intransitáveis, viadutos desabaram, e muitas estufas e plantações ficaram destruídas. Os reservatórios construídos pelo KKL com o auxílio de seus amigos do mundo inteiro, destinados a recolher as águas das tor-rentes, encheram até transbordar, e alguns foram seriamente danificados.

As equipes do KKL da região sul do país estão examinando os danos e ajudando a desobs-truir estradas de acesso às localidades e campos agrícolas, numa ação de primeiros socorros a localidades que ficaram isoladas, desde Yotvetá até Idan. Conversamos com as equipes de tra-balho do KKL, chefiadas pelo diretor da Região Sul, Ami Uliel, pelo vice-diretor da Região Sul, Itzik Moshe, e o diretor regional da Unidade de Operações no Sul, Yossi Otmazgin, so-bre os prejuízos e os trabalhos de recuperação necessários.

Os principais danos foram causados aos reservatórios que recolhem a água das torrente, que são diferentes dos reservatórios fechados que acumulam água reciclada. Os reservatórios para o recolhimento de águas de torrente são abertos, com um vertedouro do lado. Quando chega a torrente, o açude enche e a água que sobra escorre pelo vertedouro. O desafio enfrenta-do pelos engenheiros que projetam os reservatórios no Aravá é construí-los de tal forma que leve em conta os enormes custos econômicos de sua construção, mas também a possibilidade de serem danificados pelas raras torrentes que ocorrem na região. Por isso, pode acontecer que um reservatório com determinada capacidade de armazenamento, seja danificado por ocasião de uma torrente mais violenta, com um volume de água acima de sua capacidade.

APRESENTAMOS A SEGUIR ALGUNS DADOS SOBRE OS DANOS CAUSADOS PELA RECENTE INUNDAÇÃO

Reservatório de Zukim – o reservatório encheu até a borda. A correnteza violenta despe-jou-se com um enorme volume de água, muito maior do que a capacidade do reservatório, da-nificando as barragens e a infraestrutura em torno do reservatório. Esta infraestrutura terá de ser recuperada, e as barragens, reforçadas. A construção do reservatório e as obras complemen-tares foram realizadas com o auxílio dos Amigos do KKL dos Estados Unidos, Canadá e Ho-landa.

Reservatório Eshet – encheu e transbordou, sem sofrer estragos; mas as estradas de a-cesso ao reservatório foram danificadas, necessitando de reparos. Este reservatório foi construído com a colaboração dos Amigos do KKL dos Estados Unidos.

Reservatório Nikrot em Ein Yahav – O reservatório encheu e transbordou; as águas do escoadouro arrancaram o asfalto da estrada que liga Ein Yahav a Hatzevá, assim como de todas as estradinhas agrícolas de acesso às estufas. Será necessário reforçar as barragens e reparar as estradas. A recuperação das terras das colônias agrícolas de Ein Yahav foi possível graças ao apoio dos Amigos do KKL dos Estados Unidos, Austrália e Holanda.

Reservatório de Hatzevá – Também ficou cheio até a borda; as estradas de acesso ao re-servatório sofreram estragos, assim como o escoadouro e as barragens. As águas erodiram a parte externa da barragem, que vai necessitar de reforço, e as estradas também precisam de conserto.

Reservatório de Idan – O escoadouro do reservatório foi completamente destruído. Qua-tro pessoas foram, felizmente, resgatadas de um caminhão que afundou na lama, e está até hoje atolado ao lado do reservatório. A infraestrutura da estação de bombeamento da Companhia de Água Mekorot, situada no alto da barragem do reservatório, desabou completamente, e o mes-mo aconteceu com o poste elétrico situado nas proximidades. Todas as estradas em torno do reservatório precisam de conserto. As paredes exteriores da barragem foram erodidas pela cor-renteza, e vai ser necessário reforçá-las. O Reservatório de Idan foi construído graças à genero-sidade dos Amigos do KKL da Itália.

Reservatório de Neot Temarim – Este reservatório ficou completamente cheio. As estra-das de acesso e o lado externo da barragem do reservatório ficaram danificados, necessitando de reparos. O Reservatório de Neot Temarim foi construído com o apoio dos Amigos do KKL na Europa e Canadá.

Reservatório do Nachal Lavan-Nitzana – O reservatório encheu e transbordou. O açude Lavan, ao ser construído, fora projetado mais baixo do que o necessário para acumular a água no reservatório, e grandes quantidades vazaram pelo escoadouro. O reservatório e o escoadouro não sofreram danos, e a água está represada. O escoadouro apresenta apenas um pequeno pro-blema: uma pequena falha na junção do açude com o canal alimentador do reservatório. O Concelho Local está preparando um plano de reparos para a área danificada, e o KKL vai averiguar as possibilidades de prestar a necessária assistência. O Reservatório do Nachal Lavan, construído com a ajuda do KKL da Inglaterra, já tinha sido danificado por uma enchen-te violenta, e depois disso foi consertado e reforçado. O reservatório foi projetado para recolher uma torrente superficial de 1.000 m³ por segundo – mas nessa última enchente as águas corriam numa velocidade de 2.000 m³ por segundo!

A Rota da Paz no Aravá – Todas as estradas foram parcialmente destruídas pela enchen-te, e vão necessitar de reparos. Os trabalhos da Rota da Paz foram realizados com o apoio dos Amigos do KKL dos Estados Unidos e da Europa.

Na margem oriental (lado jordaniano) do Rio Aravá, nas terras agrícolas de Idan, Hatzevá e Yahav, registraram-se graves danos à infraestrutura agrícola, estufas e campos abertos culti-vados. Sérios danos foram causados também às estradas de acesso às localidades Nitzana e Kadesh Barnea. A queda de um viaduto nesta região bloqueou o acesso às localidades de Beer Milka, Nitzana, Azuz e Kehmim, cujas estradas de acesso ficaram completamente destruídas. As equipes do KKL trouxeram tratores a esses locais, para uma ajuda de emergência na reaber-tura de estradas de acesso às localidades atingidas.

CAPTAÇÃO DE ÁGUA DAS TORRENTES

O clima do deserto caracteriza-se por uma estação chuvosa muito curta e irregular. De modo geral, chove no inverno, a água escorre pela superfície e corre para os wadis (leitos de córregos secos), criando repentinas torrentes, às vezes de extrema intensidade. A maior parte dessa água é desperdiçada, evaporando ou correndo para o mar. Uma pequena parte penetra no solo, desempenhando a importante função de reabastecer os aquíferos esvaziados pela extra-ção. Há mais de uma década têm-se desenvolvido métodos para captar a água destas torrentes e armazená-la em reservatórios. Esta água é usada para irrigação em algumas das áreas mais ári-das do Neguev, e é a chave do sucesso de vários empreendimentos agrícolas. O KKL é um lí-der destas tecnologias de ponta de captação de água, empenhando-se ativamente na construção de açudes e reservatórios, a fim de captar e acumular o maior volume de água possível. (Fonte: KKL / Divisão de Recursos e Desenvolvimento)

Fonte: http://www.pletz.com/blog/

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gentileza não escrever em LETRA MAIÚSCULA. Por favor, respeite. Palavrões, ofensas e coisas do gênero não serão aceitos. Muito obrigado. Deus o abençoe.