domingo, 28 de fevereiro de 2010

Altares de Adoração


A importância dos altares no passado
Na época dos patriarcas, Deus se manifestava nos locais onde levantavam-se altares de pedra, e eram oferecidos sacrifícios ao Deus Jeová. Era algo normal entre eles, sempre que tinham algo a agradecer, ou algo a ser buscado de Deus, levantava-se um altar.
Na verdade, o mesmo acontecia  com os que serviam aos deuses pagãos. Nos altares levantados, os espíritos territoriais se manifestavam, e através destes altares deixavam seus pontos de contato, e assim poderiam controlar determinada região.
Ao estudarmos a história de Israel, percebemos que no início estes altares eram feitos de pedra, até chegar a época dos reis.
No reinado de Davi, Deus colocou no coração dele o desejo de construir um santuário, um templo, e ele preparou Salomão, seu filho, para tornar este desejo em realidade.

Os homens daquela época eram fervorosos adoradores. Eles sabiam que sua adoração tocava o coração de Deus e ele vinha, e se manifestava.
E quando isto acontecia, a presença de Deus  era tão real, e muitas vezes com manifestações físicas através de anjos, fogo, terremoto, ou som de trombeta.
Deus estabeleceu princípios para a construção dos Altares de pedra
Lemos em Êxodo 20:25 e 26 “e, se me fizeres um altar de pedra, não o farás de pedra lavrada; se sobre ele levantares o teu buril, profaná-lo-ás. Não subirás também por degraus ao meu altar, para que a tua nudez não seja descoberta diante deles.”
Deus prometeu manifestar-se no lugar onde houvesse um Altar, por isso, era necessário seguir os seus princípios para edificá-los:
            1º)  para que Deus aceitasse a oferta, o altar não podia ser profanado  - as pedras não poderiam ser cortadas com ferramentas. Isto significa que Deus queria uma adoração natural. Nada artificial, nada “coreografado” . Tudo espontâneo partindo de um coração sincero.
            2º ) não podiam mostrar sua nudez . No altar do Senhor tem que haver santidade. Infelizmente hoje, nos altares de Deus muitas vezes há pessoas que não cuidam, e trazem contaminação ao altar, com o uso de roupas sem pudor, e vida de pecado, pensando que assim irão agradar a Deus.

Esta é a diferença dos altares de satanás, que contêm toda sorte de impurezas, imundícias, e perversão. Mas Deus é santo e exige santidade na sua presença.

O lugar do Altar
No princípio, a revelação mostrava que no lugar onde era erigido um  altar, era exatamente onde Deus se manifestava, falava com eles, e o próprio lugar se transformava num lugar sagrado (veja o exemplo de Jacó em Gênesis 35:9-15).
Você encontra também na Palavra de Deus, lugares específicos onde o próprio Deus escolheu para se manifestar, veja:
            1º) Êxodo 19:18-20 -  o Monte Sinai – foi um “altar”  especial – o lugar da lei, o lugar onde Moisés teve uma experiência tremenda, e falou com Deus.
            2º) I Reis 18: 19-24, 36-38,39 – o Monte Carmelo – passo a passo, até levantar um altar, e  Deus se manifestar para derrotar Baal e os falsos profetas.
Do Altar de Pedra ao Santuário
Em Gênesis 22:1-14,  Deus escolheu um lugar que no futuro se converteria, num templo, um santuário (proféticamente já mostrando Jesus e nós).  Quando Abraão entrega Isaac, Deus escolheu uma das montanhas de Moriá, proféticamente como Jesus estaria sendo entregue como cordeiro pascal.
No mesmo lugar, David é confrontado com seu pecado, e Deus dá ordens para construir um altar, e assim cessar a praga que estava sobre Israel.
O local escolhido foi a eira de Arauna (em algumas traduções Onã – o Jebuseu).
Veja esta história em  I Crônicas 21:14-30, e no capítulo 22:1 à 6,  em II Crônicas 3:1, e também em II Crônicas 7:1-2, 12, e 16. O altar foi levan tado, o sacrifício foi entregue, e a praga cessou!
O mesmo lugar do sacrifício de Abraão, o mesmo lugar do sacrifício  de Davi, foi construído o santuáro de Salomão para o Deus altíssimo.Aleluia!  II Crônicas 3:1 “e começou Salomão a edificar a casa do Senhor em Jerusalém, no monte Moriá, onde o Senhor se tinha mostrado a Davi, seu pai, no lugar que Davi tinha preparado na eira de Ornã, o jebuseu”.

Adoração é a resposta para os dias de hoje

Quando Jesus veio como cordeiro, ele foi sacrificado no altar do Gólgota e derramou seu sangue como libação. Ao subir aos céus,  o Espírito Santo é enviado, e este passa a morar no interior de todos aqueles que aceitam a Jesus como Senhor de suas vidas.
Passamos a ser o santuário vivo do Deus altíssimo. Aleluia! Mas não podemos esquecer que os princípios continuam os mesmos:
1) adoração tem que ser natural e espontânea
2) o altar de Deus (que somos nós) tem que estar em santidade (vida de santidade).

A adoração atrai a presença de Deus! Quanto mais adoração, maior será a glória de Deus,  e onde Ele se manifestar, com certeza, haverá mudanças em tudo, e a todo que à Ele se expor..
Palavra profética:
Hoje, individualmente,  somos o santuário de Deus. A igreja reunida representa o  máximo dos santuários.
Deus trará nestes últimos anos a maior colheita de almas já vista sobre a face da terra, em especial no Brasil.

Também cidades e nações se dobrarão aos pés do Senhor Jesus!
O louvor e a adoração emergirão nos corações com grande poder, e as trevas serão abaladas.
Quanto mais adoração, maior será a glória de Deus! Onde há um adorador, haverá um altar para o Senhor. Onde há um altar para o Senhor, a glória Dele se manifesta. Quando a glória Dele se manifesta, o mundo saberá que há um só Deus vivo e verdadeiro, e O adorarão! Aleluia!

Seja um verdadeiro Adorador!

Eu te abençoo em nome de Jesus

Jesher Cardoso, apóstolo

Missão Evagélica Shekinah
Rede Apostólica da Aliança




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gentileza não escrever em LETRA MAIÚSCULA. Por favor, respeite. Palavrões, ofensas e coisas do gênero não serão aceitos. Muito obrigado. Deus o abençoe.