segunda-feira, 15 de fevereiro de 2010

Viagem missionária ao Haiti

De volta do Haiti



Estão de volta ao Brasil os pastores Mayrinkellison Wanderley, Ailton Desidério, Paulo Albuquerque, David Pina e Roberto Amorim. O grupo esteve, entre os dias 2 a 12 de fevereiro, no Haiti e levou mais uma ajuda dos batistas brasileiros ao povo haitiano.



Durante a visita, o Pr. Paulo Albuquerque adoeceu e foi atendido na Embaixada do Brasil, que o encaminhou para a Base da Força Aérea Brasileira – FAB – instalada no Haiti, onde recebeu a medicação adequada. Segundo o Pr. Mayrinkellison, a ida da equipe à Base foi providencial, pois ali ouviram histórias de sofrimento e solidão do povo haitiano. Os soldados da FAB fizeram mais de 100 operações, inclusive com amputações, durante o tempo que os pastores ali estiveram.



O grupo visitou os locais por onde passou na viagem anterior e viu o sofrimento do povo, visitou a comunidade de Fort National, na periferia de Porto Príncipe. “Ali a destruição foi completa. Nenhuma casa de pé, ninguém morando; uma verdadeira cidade-fantasma. Em pé, solitário, o grupo viu um homem que olhava obliquamente para uma casa. Indagado, ele respondeu: 'Eu venho aqui todos os dias desde 12 de janeiro, pois ali embaixo estão meus dois filhos, que ainda não pude sepultar', conta o Pr. Mayrinkellison. Segundo relato de nosso obreiro da terra Pr. Jonathan, o Pr. David Pina – Representante da JMM – chorou! Não apenas chorou, mas gritou desconsoladamente, frente àquele quadro apocalíptico.



O Pr. Mayrinkellison conversou com o Pr. Jonathan sobre os planos de Missões Mundiais para o Haiti e ouviu dele as necessidades mais urgentes. Assim foi reafirmado o interesse e intenção da JMM em ajudar o Haiti; não apenas nesse momento, mas com um plano mais duradouro de reconstrução do país, através de nossas igrejas batistas ali localizadas.



Os pastores foram abençoados com uma visita que fizeram à Base da Marinha do Brasil no Haiti onde conversaram com alguns irmãos que fazem parte da Força de Paz. Eles foram bem recebidos por irmãos da Assembleia de Deus, por um sargento batista e por um Promotor de Missões e Embaixador do Rei no Haiti. A presença deles, ali, gerou o cadastramento da igreja do Pr. Jonathan que será beneficiada com a distribuição de víveres.



Os pastores, representando suas igrejas, doaram à AIBHMI um gerador, um inversor de energia, baterias para carga de energia e um kit de internet/telefone. Com isso, nossos irmãos agora poderão não apenas ter energia elétrica, como também se comunicar conosco com rapidez e qualidade. Além disso, deixaram ofertas em roupas, calçados, remédios, comida, água e outras doações para nossos obreiros.




“Isso foi um sinal do Reino de Deus sobre a vida de nossos irmãos e não há preço que pague! Agradecemos aos colegas que, com despreendimento, puseram em prática o princípio de 2Coríntios 9. Essa oferta foi além daquilo que a JMM e outras igrejas batistas do Brasil já haviam enviado. Elas foram entregues aos nossos irmãos haitianos logo no nosso primeiro dia, para ajudá-los na compra de itens de primeira necessidade. Também os pastores Ailton Desidério e Paulo Albuquerque deram atendimento pastoral e ao mesmo tempo psicológico, cuidando da saúde emocional e espiritual de nossos obreiros haitianos”, conta o Pr. Mayrinkellison.



Dia de jejum e oração no Haiti



O grupo de pastores batistas brasileiros terminou sua jornada no Haiti visitando um dos líderes evangélicos do país, o Pr. Hérode Guillomettre, representante da Missão às Américas. Ele contou de sua dor, dos trabalhos que foram empreendidos, da luta espiritual que tem sido travada há séculos e que agora parece estar se definindo. Segundo o Pr. Guillomettre, os poderes Executivo, Legislativo e Judiciário caíram no Haiti. Mas o poder religioso também caiu.



Segundo o líder evangélico, as estruturas dos poderes foram totalmente abaladas e se inicia a reconstrução de uma nova nação. Não se pode construir algo novo sobre fundamentos velhos. Agora é a hora do Haiti! É a hora de profetizar sobre essa nação, para que seus “ossos secos” possam ganhar nova vida. Sim, é hora de defender um novo Haiti. E acreditamos que a hora realmente chegou...E já começou, pois o presidente do Haiti, num ato inédito na história do país, decretou o dia 12 de fevereiro como dia de Jejum e Oração nacionais. E as igrejas realizarão uma jornada de oração e jejum dos dias 12 a 14 de fevereiro e cruzada evangelística dos dias 14 a 17, pois não é possível reconstruir o Haiti apenas com ajuda humanitária e financeira, mas com joelhos dobrados e submissão a Deus. Todos os crentes do Brasil estão convidados a orar e jejuar durante esses três dias em favor do Haiti. A visita encerrou com um culto doméstico, com oração, cânticos e leitura de salmos. Foi realmente a “chave de ouro” para fechar nossa estada nesse sofrido país.



O Pr. Mayrinkellison, Coordenador de Missões da JMM e o organizador da viagem, enviou seu último informe sobre a viagem ao Haiti com uma bênção e uma palavra de gratidão a todos os irmãos e irmãs brasileiros que se engajaram e se engajarão nesse processo de reconstrução nacional.



“Mesi! Bondye beni w anpil”


(Obrigado! Deus os abençoe muitíssimo!)


Por Ailton Figueiredo

Postado por Projeto Albânia

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gentileza não escrever em LETRA MAIÚSCULA. Por favor, respeite. Palavrões, ofensas e coisas do gênero não serão aceitos. Muito obrigado. Deus o abençoe.