terça-feira, 2 de março de 2010

O perigo de ser do contra

"Por que a rebelião é como o pecado de feitiçaria, e a obstinação é como a idolatria e culto a ídolos do lar. Visto que rejeitaste a palavra do Senhor, ele também te
rejeitou a ti, para que não sejas rei" (I Sm 15:23).

      A rebelião é como o pecado da feitiçaria, diz a Palavra de Deus. Estudando as Escrituras, não encontramos nenhum outro tipo de transgressão que seja tratada com tanta severidade pelo Senhor como esta. Vemos pessoas ficando gravemente enfermas (Nm 12:10), reis perdendo o seu trono (I Sm 13:13-14) e gente sendo morta por um juízo de Deus simplesmente pelo fato de que se levantarem contra a sua autoridade (Nm 16:01-33). O mais chocante é que a rebelião não acontece só quando alguém se levanta frontalmente contra o Senhor. Todas as vezes que o homem se opõe à pessoas constituídas e ungidas por Deus ou uma visão divina, é tratado como um rebelde.
        
Por que isso acontece? Por que o Senhor usa de tanta severidade para com este tipo de pecado?

 1.Em primeiro lugar, Deus não tolera a rebelião porque ela questiona a base que sustenta o Universo: o seu senhorio. Se há algo que Deus não pode abrir mão é do governo sobre todas as coisas. Ao criar o homem e colocá-lo no Jardim do Éden com todo o respaldo para viver feliz e desfrutar da Terra, o Senhor deixou claro que a única condição para que tudo permanecesse bem era que Adão e seus descendentes se sujeitassem a Ele. A figura da árvore do conhecimento do bem e do mal colocada no meio do jardim com seu fruto proibido era um ícone da autoridade divina, um aviso que o homem deveria entender assim: "Você pode dominar sobre tudo, mas quem manda em você sou Eu, o Senhor!".

Ao comer daquele fruto, Adão e Eva estavam se insurgindo, proclamando sua independência e, como resultado, receberam toda a maldição do pecado, não somente sobre si, mas sobre toda a raça humana que os seguiu.
  
2.O segundo motivo pelo qual Deus trata severamente a rebelião é porque ela leva o homem a assemelhar-se com Lúcifer, o querubim corrompido, Satanás. Foi exatamente uma insurreição contra a soberania do Senhor que fez com que ele e um terço dos anjos fossem expulsos do céu e se tornassem este reino asqueroso de demônios que entenebrece a Terra.
  
Quando nos rebelamos, nós que fomos feitos para manifestar a glória e o caráter de Cristo, assumimos uma identificação completamente oposta, assemelhando-nos àquele que se tornou o maior inimigo de Deus, o diabo.

3. O terceiro motivo pelo qual a rebelião suscita a ira do Senhor é o fato de que ela tem um terrível e devastador poder de contaminação. Rebeldes costumam levantar insurreições, são como o estopim de uma grande bomba. Ao lado de um rebelde logo se levantarão muitos outros. Por isso, não podem ser deixados à revelia, agindo no meio da igreja como células cancerosas que se multiplicam em sua loucura. Ou tratamos a rebelião com o radicalismo do céu ou seremos todos destruídos por ela!

Talvez você ache desnecessária esta palavra. Afinal, estamos numa igreja abençoada e todos têm consciência destas verdades... infelizmente não é bem assim. Queremos um Novo Tempo e uma multiplicação rápida e muitas pessoas são agregadas à comunidade num curto espaço de tempo.. Por conta disto, podem surgir focos de independência e até mesmo de rebeldia no meio do povo. Pessoas mal informadas podem incorrer em erros que abrirão brechas no meio do arraial. Isso sem falar nos inconversos, o "populacho" que muitas vezes se instala no meio da igreja, com aparência de piedade, mas que na verdade nunca se converteu ao Senhor e seduz crentes desprecavidos com palavras e comportamentos contrários à visão que Deus estabeleceu.

A rebelião nem sempre é explícita. Muitas vezes ela se apresenta sutil e traiçoeira. Uma discordância manifesta, uma crítica ao líder, uma acusação leviana contra o pastor, uma palavra de murmuração sobre a visão da Igreja ou simplesmente a cumplicidade em relação ao pecado alheio pode ser a ponta de um iceberg. Tome cuidado! Na casa de Deus não há lugar para oposição. Jesus disse: "Quem comigo não ajunta, espalha" 

Portanto, ser "do contra" não é tão normal na igreja quanto aprendemos no mundo. Se não queremos ser tratados pelo Senhor como feiticeiros, a melhor coisa é vigiar e não tocar no fruto proibido da rebelião. Antes de ser "do contra", é bom pensarmos com quem vamos nos assemelhar: Lúcifer ou Jesus?

(Extraído de textos da Comunidade Cristã de Ribeirão Preto)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gentileza não escrever em LETRA MAIÚSCULA. Por favor, respeite. Palavrões, ofensas e coisas do gênero não serão aceitos. Muito obrigado. Deus o abençoe.