sexta-feira, 10 de setembro de 2010

Obama congratula Quênia pela constituição abortista e com extremismo islâmico. #Obama #Terror

Obama congratula Quênia por aprovar constituição apoiada por ele

Na quinta-feira, o presidente Obama louvou o Quênia por aprovar uma polêmica nova constituição que liberaliza as leis de aborto e que parcialmente implementa a xaria, a lei islâmica, dentro das fronteiras do Quênia.
"Esse foi um avanço significativo para a democracia do Quênia", declarou o presidente Obama, "e a natureza pacífica da eleição é um testemunho do caráter do povo queniano".
A nova constituição foi aprovada por cerca de 70% dos eleitores. Ela permite o aborto por motivo da "saúde" das mães — um termo que os opositores dos direitos dos bebês em gestação confessam pode ser "interpretado de forma ampla quando necessário" para ajudar a criar leis de aborto livre.
A nova constituição também estabelece solidamente espaço legal para tribunais islâmicos khadi, os quais tratam de assuntos de família de acordo com a lei xaria. Só 12% do Quênia são islâmicos.
O presidente Obama declarou que seu governo teve "o prazer de apoiar o desenvolvimento democrático do Quênia e o povo queniano, inclusive por meio da visita do vice-presidente Biden no começo deste ano".
Durante a viagem do vice-presidente Biden, ele prometeu que a aprovação da nova constituição queniana "permitiria que o dinheiro fluísse" dos cofres da assistência externa para o Quênia.
O governo de Obama gastou cerca de 23 milhões de dólares apoiando a nova constituição, uma medida que alguns congressistas protestaram viola a emenda Siljander, um estatuto que proíbe o governo federal de fazer pressão política e financeira a favor ou contra o aborto com verbas de assistência externa.
Marie Smith da Rede Parlamentar de Questões Críticas (RPQC) disse que outros países "realmente tentaram impor uma ideologia e uma agenda no" Quênia.
No entanto, o presidente Obama declarou que a grande margem com que a constituição foi aprovada reflete os desejos dos quenianos em busca de "melhor governo, maior estabilidade e maior prosperidade".
A secretária de Estado Hillary Clinton também congratulou o Quênia pelo resultado do referendo.
Joseph Meany, porta-voz de Human Life International (HLI), disse para o noticiário OneNewsNow que, considerando o fato de que os defensores da constituição disseram que ela não liberaria as leis de aborto, as organizações pró-vida têm o direito de exigir que tais promessas sejam cumpridas.
"Os líderes pró-vida estarão propondo emendas pró-vida para dizer 'Olha — essa constituição faz parecer que o aborto vai ser legalizado. Por isso, precisamos fazer uma emenda nela, e todos aqui estão de acordo que não deve haver aborto. Então vamos fazê-la", disse ele.
A maioria dos quenianos é pró-vida.
Concluindo sua declaração, o presidente Obama disse que os quenianos "poderão aproveitar esta oportunidade histórica para avançar seu país".
Ele concluiu: "Como amigo e parceiro íntimo do Quênia, os Estados Unidos trabalharão com a comunidade internacional para apoiar o processo de implementação, e permanecer com o povo queniano enquanto eles se esforçam para alcançar um futuro melhor".

James Tillman
WASHINGTON, DC, EUA, 6 de agosto de 2010 (Notícias Pró-Família)
Veja os artigos relacionados em LifeSiteNews.com:
Kenyan Voters Approve Pro-Abortion Constitution
http://www.lifesitenews.com/ldn/2010/aug/10080506.html
Traduzido por Julio Severo: www.juliosevero.com
Veja também este artigo original em inglês: http://www.lifesite.net/ldn/viewonsite.html?articleid=10080601


BRASIL: TERRA DO AVIVAMENTO - TERRA DA ADORAÇÃO AO ÚNICO SENHOR, JESUS CRISTO!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gentileza não escrever em LETRA MAIÚSCULA. Por favor, respeite. Palavrões, ofensas e coisas do gênero não serão aceitos. Muito obrigado. Deus o abençoe.