quarta-feira, 1 de junho de 2011

KIT GAY foi realmente proibido?

Ou a suspensão foi temporária para diminuir a pressão sobre o governo no caso Palocci?

Conforme publicou o Portal G1, na tarde desta sexta-feira (27), em São Paulo, o Ministro da Educação Fernando Haddad disse que o MEC vai avaliar se a base do material (kit gay) já produzido será mantida.

Segundo o MEC mais de 6 mil escolas no país onde há registro de bullying 'homofóbico' e elas deverão receber a nova versão do kit gay ainda este ano.

Satisfação à ABGLT

No mesmo dia (25) do anúncio do veto do kit gay a Secretaria-Geral da Presidência da República convidou a Associação Brasileira de Gays, Lésbicas e Transexuais (ABGLT) para tratar do assunto na próxima terça-feira (31).

A notícia deixou animado o Presidente da ABGLT, Toni Reis, que disse:

— Achei de bom tom terem chamado a ABGLT para a reunião em Brasília. Vamos dialogar. Tudo na política dá para reverter. Não vejo o atual governo como homofóbico — afirma, salientando a necessidade de ações de defesa da população LGBT por parte do Estado.

Kit gay no Plano governamental

A produção do material 'didático' está prevista no Plano Nacional de Cidadania e Direitos Humanos LGBT, página 32, item 1.4.6, conforme abaixo:

O kit gay e o caso Palocci

Há quem diga que em troca do apoio das bancadas religiosas contra uma CPI que pretende investigar o súbito enriquecimento do ministro da Casa Civil, Antônio Palocci, o Palácio do Planalto decidiu não mais distribuir o kit gay.

A tal CPI já havia colhido algumas assinaturas, todavia, diante da suspensão (que agora se sabe, foi temporária) do kit gay alguns parlamentares da bancada religiosa, que já haviam assinado o requerimento de convocação de Palocci, retiraram as assinaturas.

Volta tudo a ser como era antes

Com as declarações do ministro de que o material PODERÁ ser refeito, é possível notar que a atitude de suspensão foi realmente uma estratégia para se evitar mais confusão na porta do Planalto.

Ao que tudo indica, o governo vai realmente levar adiante esse material, até por que está previsto no planejamento  governamental. São 180 itens no Plano. Se o governo  recuar neste embate, como levará adiante os demais projetos da agenda gay?

A pressão sobre a bancada evangélica tem que ser aumentada.

Com informações do Blog Julio Severo e G1.

Texto para relfetir …

A denúncia do kit gay foi feita em dezembro de 2010 pelo deputado católico do Rio de Janeiro (veja a data da postagem do vídeo).

Por que somente agora (5 meses depois) – com a eclosão do caso Palocci – a Rede Record e a bancada evangélica resolveram atacar ferozmente o tal kit?

Estariam eles de tocaia à espera de alguma denúncia (uma podridão, uma carniça) que afetasse alguém do primeiro escalão do governo, a fim de que pudesem fazer seus toma-lá-dá-cá?

Sugere-se a leitura do texto esclarecedor o qual mostra que realmente estamos largados à própria sorte: BANCADA EVANGÉLICA TROCA PALOCCI POR KIT GAY! SERÁ QUE O FIM JUSTIFICA OS MEIOS?

Lembremos das palavras de Jesus:

"Onde estiver o cadáver, aí se ajuntarão os abutres" (Mateus 24.28)

Parafraseando: "Onde tiver carniça, ali se ajuntarão os abutres".

A carniça é o caso Palocci?

Os abutres são os que se aproveitaram do caso para fazerem barganhas e  politicagem?

Certo é que nem todos os da bancada evangélica agiram como falta de ética. Devemos prestigiar os que estão trabalhando seriamente e cobrar deles mais empenho neste caso.

Fonte: Holofote.Net


Twitter: http://twitter.com/andrermendonca
Blog Novo Tempo: http://novotempoagora.blogspot.com/
BRASIL: TERRA DO AVIVAMENTO - TERRA DA ADORAÇÃO AO ÚNICO SENHOR, JESUS CRISTO!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gentileza não escrever em LETRA MAIÚSCULA. Por favor, respeite. Palavrões, ofensas e coisas do gênero não serão aceitos. Muito obrigado. Deus o abençoe.