terça-feira, 13 de novembro de 2012

IAMIR Celebrando o Dia Nacional de Ações de Graça




"Em tudo dai graças, porque esta é a vontade de Deus em Cristo Jesus para convosco." I Tess. 5:18


Neste dia 22 de Novembro, quinta-feira, é o Dia Nacional de Ações de Graça, instituído no Brasil desde 1949 e tão pouco divulgado e não comemorado. O interessante e histórico é que foi um brasileiro, Joaquim Nabuco, em 1909, à época embaixador brasileiro nos EUA que deu a idéia de se comemorar, citando a seguinte frase: "Eu quisera que toda a humanidade se unisse, no mesmo dia, para um agradecimento universal a Deus". Somos um país voltado para a paz!

No final desta mensagem você pode ler textos explicativos referentes a esta data.

IAMIR-Sede - www.iamir.com.br - realizará no dia 22 um CULTO DE AÇÕES DE GRAÇA para comemorar esta linda e significativa data

Dia de celebrar a VIDA que CRISTO nos dá, a SALVAÇÃO e a GRAÇA ETERNA de nosso SALVADOR., agradecendo pelo ano que se encerra e por tudo que o Senhor haverá de realizar em 2013!


Alguns dados sobre o DIA NACIONAL DE AÇÕES DE GRAÇA (DNAG):


Dia Nacional de Ações de Graças


A idéia de transformar o "Dia de Ação de Graças" em acontecimento unversal nasceu de um brasileiro, Joaquim Nabuco, quando Embaixador do Brasil em Washington.
Em 1909, na Catedral de São Patrício, ao final da primeira Missa Pan-Americana, que celebrava o "Dia de Ação de Graças", o Embaixador brasileiro formulou publicamente o seguinte voto: "Eu quisera que toda a humanidade se unisse, no mesmo dia, para um agradecimento universal a Deus".
O diplomata brasileiro soube expressar em sua idéia todo o conhecimento que tinha sobre a população de seu país, baseado em seu passado histórico, firmando sempre, desde as origens, nas tradições cristãs do respeito à liberdade e aos direitos humanos, na proibição constitucional das guerras, na busca de solução dos conflitos sem derramamento de sangue, enfim, um país voltado para a paz.
No Brasil, o "Dia Nacional de Ação de Graças" foi instituído por meio da Lei nº 781, de 17 de agosto de 1949, pelo presidente Eurico Gaspar Dutra. O Decreto nº 57.298, de 19 de novembro de 1965, regulamenta as comemorações do "Dia Nacional de Ação de Graças". Finalmente, a Lei nº 5.110, de 22 de setembro de 1966, determina que o "Dia Nacional de Ação de Graças" seja comemorado na 4ª quinta-feira do mês de novembro, sendo o Ministério da Justiça o órgão legalmente incumbido de promover a sua celebração.
Histórico
A Comissão do Dia Nacional de Ação de Graças, do Ministério da Justiça, vem cumprindo suas atribuições de fazer a semana preparatória, com as mensagens oficiais e a cerimônia do "Te Deum", com todas as características especificadas no Decreto, cuidando da sua divulgação.
O relato das várias celebrações em todo o território nacional demonstram o interesse dos órgãos públicos e segmentos religiosos em comemorar o dia, bem como o envolvimento das autoridades eclesiásticas de vários pontos do país, em participar e apoiar o evento.
Um histórico de abrangência mundial registra como o mais longínquo "Te Deum" o que fez Cristóvão Colombo, em 1492, quando chegou à América, agradecendo a Deus pela descoberta.
Registra-se também que Cabral, quando chegou ao Brasil em 1500, rezou uma missa de agradecimento nas praias da Bahia.
Nos EUA, em 1612, os Peregrinos iniciaram a comemoração como "Dia de Ação de Graças" que evoluiu sempre mais, pois em 1789, o Presidente George Washington oficializava a comemoração.
Em 1863, o Presidente Lincoln determinava sua realização para a última quinta-feira do mês, sendo que estabelecia, também ele, que era esse dia feriado nacional.
O dia continuou a ser sempre comemorado, e em 1939 o Presidente Franklin D. Roosevelt proclamou essa comemoração para a quarta quinta-feira do mês, sendo essa data oficializada no Congresso Americano em 1941.
Para os estadunidenses as comemorações religiosas são acompanhadas de jantar de confraternização, com o tradicional peru e a torta de abóbora, que se tornaram símbolo desse dia.
FONTE: MINISTERIO DA JUSTIÇA

-------------------------------------------------------------


A MARCA 
(as mãos unidas em gesto de oração e graças - leia o texto e entenderá)


Imagem inline 1


A marca do DNAG alude a uma história que aconteceu nos idos do século 15, numa vila perto de Nuremberg. Lá vivia uma família de 20 pessoas, formada por pai, mãe e 18 filhos. O pai trabalhava de sol a sol para manter todos. Mesmo nessas condições adversas, as duas crianças mais velhas tinham um sonho: estudar artes.
Cientes das poucas condições da família, os dois irmãos lançaram uma moeda e deixaram que a sorte decidisse a vida deles. Quem perdesse iria trabalhar nas minas e, com o salário, bancar o estudo do outro. O ganhador, quando terminasse o curso, financiaria o perdedor na academia, com a venda da sua arte ou se preciso trabalhando nas minas.
Albrecht Durer ganhou e foi para Nuremberg. Albert foi trabalhar nas perigosas minas e, pelos quatro anos seguintes, financiou seu irmão, cujo trabalho na academia foi um sucesso. Tão logo se formou, já ganhava consideráveis comissões por seus trabalhos.
Quando o artista voltou à vila a família fez uma festa para comemorar o sucesso de Albrecht. Após a refeição farta, Albrecht levantou-se e propôs um brinde a seu amado irmão, pelos anos de sacrifício que tinha permitido a Albrecht realizar seu sonho. Suas palavras foram: “E agora, Albert, meu irmão adorado, é a sua vez. Você pode ir à Nuremberg perseguir seu sonho, e eu cuidarei de você.
Do outro lado na mesa, fitado por todos os olhares, Albert, com os olhos cheios de lágrimas, repetia: “Não… Não… Não… Não…”. Ele explicou que não podia ir à Nuremberg, pois os quatro anos nas minas acabaram com as suas mãos. “Com minha mão direita mal consigo segurar um copo para retornar seu brinde. Não, meu irmão… Para mim é muito tarde”, disse ele.
Mais de 450 anos se passaram e centenas de obras do artista estão expostas pelo mundo. E, certamente, um dos trabalhos de Albrecht Durer lhe é familiar. É possível até que você tenha uma reprodução em sua casa ou escritório.
Um dia, por respeito e admiração a Albert por tudo que tinha sacrificado, Albrecht Durer desenhou as maltratadas mãos de seu irmão com as palmas juntas e os finos dedos voltados para o céu. Chamou sua obra simplesmente de “mãos”, mas o mundo inteiro, abrindo o coração para a obra, renomeou seu tributo ao amor de “Mãos em oração”.
Então, na próxima vez que você se deparar com uma imagem das “mãos em oração” dê-lhe um segundo olhar. Lembre-se de agradecer sinceramente a todos aqueles que lhe ajudaram a chegar onde você está, principalmente a DEUS.


  
Twitter@iamirbarretos
Facebookhttp://facebook.com/iamirbarretos
Site: www.iamir.com.br

BRASÍLIA, CAPITAL DA ADORAÇÃO - BRASIL, TERRA DO AVIVAMENTO
TERRA DA ADORAÇÃO AO ÚNICO SENHOR, JESUS CRISTO!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gentileza não escrever em LETRA MAIÚSCULA. Por favor, respeite. Palavrões, ofensas e coisas do gênero não serão aceitos. Muito obrigado. Deus o abençoe.