quinta-feira, 27 de dezembro de 2012

As características esperadas de um analista de redes sociais


Qual é o perfil ideal de um analista de redes sociais?

Especialista afirma que um profissional responsável por gerenciar redes sociais de uma pequena empresa deve ter características multidisciplinares

Qual é o perfil ideal de um analista de redes sociais? Respondido por Lucas Diniz, especialista em redes sociais
O mercado de mídias sociais é recente e tem recebido profissionais de diferentes formações, principalmente das áreas da comunicação, marketing e administração. Contratar um analista para fazer o trabalho internamente é a realidade da maioria das pequenas e médias empresas.
Entretanto, mesmo que você contrate uma agência, é importante ter um profissional dentro de sua empresa focado na área. Confira abaixo, algumas características esperadas de quem vai realizar essa função:
1 - Ser criativo
É necessário saber se expressar, mesclando elementos da comunicação escrita com a visual. O profissional deve buscar formas originais de transmitir mensagens que irão, além de comunicar algo, motivar o público a interagir com o conteúdo e repassá-lo para sua rede de amigos. Criatividade para reinventar e adaptar constantemente a forma de comunicação é essencial.
2 - Ser cordial
Com a crescente demanda de atendimento em redes sociais, o analista torna-se responsável por administrar um SAC 2.0. Para isso, precisará conversar, interagir e auxiliar usuários a resolverem problemas. A empatia e a cordialidade ajudam a evitar crises e gerenciar conflitos.
3 - Ser organizado
Criar pautas de conteúdo para diferentes redes sociais, agendar publicações, controlar o fluxo de resposta aos usuários, acompanhar o desenvolvimento de aplicativos e concursos, além de monitorar o que é dito sobre a marca mês a mês e gerar relatórios, exige disciplina e organização. O profissional deve documentar esses processos e acompanhá-los diariamente para uma perfeita execução do trabalho.
Lucas Diniz é analista de social media marketing da agência CadastraEnvie suas dúvidas com a palavra redes sociais no assunto da mensagem paraexamecanalpme@abril.com.br

Fonte: Exame.com

Visita pastoral à hospitais tem amparo constitucional


LEGISLAÇÃO QUE AMPARA O PASTOR À ASSISTÊNCIA RELIGIOSA EM HOSPITAIS PARTICULARES E PÚBLICOS
Artigo 5º, inciso II, CF.
“Ninguém será obrigado a fazer ou deixar de fazer alguma coisa senão em virtude de lei”.
Comentários:
1) Somente haverá proibição para o pastor adentrar à um hospital se for expressamente proibida através de lei.
2) O hospital deverá exibir a lei proibitiva.
Caso haja (o que atualmente não há) alguma lei proibitiva do pastor adentrar a qualquer hospital, estará essa lei infringindo norma Constitucional, portanto será, a referida lei, manifestamente inconstitucional, com base no artigo 5º, inciso VII, da Constituição Federal.
Artigo 5º, inciso VII, CF.
“É assegurada, nos termos da lei, a prestação de assistência religiosa nas entidades civis e militares de internação coletiva”.
Comentários:
1) Neste dispositivo da constituição federal fica claro o direito constitucional de o pastor adentrar aos hospitais para dar assistência religiosa.
2) A Lei 9.982, de 14.7.2000, é o dispositivo de legislação infraconstitucional que regulamenta as visitas em hospitais.
Inclusive os hospitais militares estão obrigados a permitir a assistência religiosa.
Lei 9.982, de 14.7.2000.
Que regulamenta a assistência religiosa em hospitais. (segue abaixo a íntegra da Lei promulgada pelo Presidente Fernando Henrique Cardoso):
LEI No 9.982, DE 14 DE JULHO DE 2000.
Dispõe sobre a prestação de assistência religiosa nas entidades hospitalares públicas e privadas, bem como nos estabelecimentos prisionais civis e militares.
O PRESIDENTE DA REPÚBLICA Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei:
Art. 1o Aos religiosos de todas as confissões assegura-se o acesso aos hospitais da rede pública ou privada, bem como aos estabelecimentos prisionais civis ou militares, para dar atendimento religioso aos internados, desde que em comum acordo com estes, ou com seus familiares no caso de doentes que já não mais estejam no gozo de suas faculdades mentais.
Parágrafo único. (VETADO)
Art. 2o Os religiosos chamados a prestar assistência nas entidades definidas no art. 1o deverão, em suas atividades, acatar as determinações legais e normas internas de cada instituição hospitalar ou penal, a fim de não pôr em risco as condições do paciente ou a segurança do ambiente hospitalar ou prisional.
Art. 3o (VETADO)
Art. 4o O Poder Executivo regulamentará esta Lei no prazo de noventa dias.
Art. 5o Esta Lei entra em vigor na data de sua publicação.
Brasília, 14 de julho de 2000; 179o da Independência e 112o da República.
FERNANDO HENRIQUE CARDOSO
José Gregori
Geraldo Magela da Cruz Quintão
José Serra
Publicado no D.O. de 17.7.2000
Os direitos dos pastores darem assistência religiosa aos pacientes internados em hospitais particulares e públicos são assegurados pela Constituição Federal e por Lei ordinária.
Ficam ainda ressalvados os direitos dos próprios pacientes de receberem visitas que lhes interesse, independentemente de condição religiosa

quarta-feira, 26 de dezembro de 2012

Jornalista denuncia: Brasil tem o maior escândalo de direitos humanos do mundo



Após produzir documentário ganhador de prêmio na TV, repórter e escritor retorna ao Brasil em defesa da vida dos índios de tribos isoladas.

O jornalista australiano Paul Raffaele presente na audiência pública na Comissão de Direitos Humanos no dia 29 de novembro, na quinta-feira. Ele manifestou repúdio com o que chama de tolerância do governo brasileiro à prática do infanticídio em tribos isoladas.
Paul Raffaele
Por duas semanas o jornalista e escritor premiado esteve no sudoeste da Amazônia gravando documentário para uma TV da Austrália. Conheceu de perto os índios da etnia Suruwahá, uma tribo que a exemplo de outras, também pratica o assassinato de recém-nascidos.
Há 50 anos Raffaele visita tribos isoladas em dezenas de países, mas enfatiza que ainda não havia se deparado com nada parecido com o que encontrou no Brasil. Ele discorda da política da FUNAI – Fundação Nacional de Assistência ao Índio - e do governo brasileiro em manter as tribos indígenas isoladas da civilização. Dessa forma, ele entende que o Brasil concorda e aprova essa, que é uma das piores violações dos direitos humanos do mundo.
Paul também aponta que a FUNAI e governantes negam que exista infanticídio nos dias de hoje; informação que ele contesta com veemência, uma vez que testemunhou esse costume sendo aceito, incentivado e praticado especialmente entre os Suruwahá.
O senador Magno Malta, quem requereu a audiência, apóia o princípio que a cultura é sempre menor que a vida, e que toda defesa à mote é injustificável.
Membros do ministério público, do Conselho Nacional de Justiça e parlamentares vendo a grandeza e gravidade do assunto afirmaram que, debates irão acontecer dentro de seus respectivos órgãos, para o desenvolvimento de projetos e politicas que possam levar cidadania a tribos indígenas isoladas.
Nós da redação lembramos que artigos publicados na internet e revistas impressas fizeram, tempos atrás declarações difamatórias e desqualificativas do trabalho da JOCUM, chegando até mesmo a classificar a presença nas tribos indígenas dos missionários de "nefasta". E ainda, o absurdo de associar o infanticídio entre os Suruwahá e a missão JOCUM, conhecida e respeitada há décadas no Brasil e internacionalmente por seus esforços voluntários na esfera da evangelização urbana e transcultural. É sabido que a prática em abandonar na floresta, enterrar vivas ou envenenar as crianças nascidas deficientes, gêmeas e mesmo filhas de mães solteiras, faz parte da tradição cultural não só da tribo Suruwahá, mas de várias outras etnias.
A JOCUM esteve entre os índios justamente pra combater essa violação, mas acabou sendo proibida de atuar sob a alegação de interferência cultural indevida. Os mesmos veículos de notícia, tempo após a verdadeira expulsão dos missionários divulgaram tendenciosamente que com a saída da JOCUM (Jovens com Uma Missão), suicídio e mortes haviam cessado. Para quem conhece o trabalho desta missão e o contexto real da atuação da FUNAI na causa indígena, sabe que só pode existir interesses políticos por esse desserviço. Paul Raffaele, ouvido com exclusividade por nossa reportagem declarou que, "os índios gostam e pedem a volta dos missionários, para que ouçam mais sobre o amor de Deus e o evangelho, mas os funcionários da FUNAI, dizem que não, que eles (missionários) devem sair. Paul concluiu perguntando: -" Afinal, quem são os verdadeiros caciques; os índios ou funcionários da FUNAI?
Confira no vídeo abaixo a declaração completa de Raffaele.

Divulgação: www.juliosevero.com



Twitter: http://twitter.com/andrermendonca
Facebook: http://www.facebook.com/andrermendonca
Blog Novo Tempo: http://novotempoagora.blogspot.com/

BRASÍLIA, CAPITAL DA ADORAÇÃO - BRASIL, TERRA DO AVIVAMENTO
TERRA DA ADORAÇÃO AO ÚNICO SENHOR, JESUS CRISTO!

segunda-feira, 24 de dezembro de 2012

Cristão comemora o natal? Sim, veja porque.


FELIZ NATAL a todos!! 

"E tu, Belém Efrata, posto que pequena entre os milhares de Judá, de ti me sairá o que governará em Israel, e cujas saídas são desde os tempos antigos, desde os dias da eternidade." Miquéias 5:2 


JESUS nasceu em Belém para REINAR ETERNAMENTE! ELE vive e reina.

JESUS CRISTO NASCEU, MORREU E RESSUSCITOU: SALVAÇÃO!

ISSO É NATAL! -- FELIZ NATAL COM JESUS A LUZ DO MUNDO!

É fato que a data exata do nascimento de Jesus não seria 25 de dezembro. Também sabemos que a Bíblia, nossa regra de fé e conduta, não nos orienta a comemorar esta data, mas também não nos proíbe. Aqui não vamos entrar em detalhes sobre isso mas neste período quando bilhões de pessoas no mundo inteiro são tocadas pelo chamado “espírito natalino”, devemos sim estarmos sensíveis ao amor que CRISTO nos concede e comemorarmos aproveitando a época e as oportunidades para transmitir a graça do Senhor que nasceu, viveu e vive, ressuscitando por toda humanidade!

Vale lembrar que Natal não é Noel, muito menos o consumismo exagerado e perigoso que vemos nesta época, mas Natal é comemorar o nascimento do SALVADOR, CRISTO JESUS!

Transmita a paz, a misericórdia e o eterno amor de Cristo a todos, através da luz que existe em seu coração!
É NATAL!!!

"Porque um menino nos nasceu, um filho se nos deu, e o principado está sobre os seus ombros, e se chamará o seu nome: Maravilhoso, Conselheiro, Deus Forte, Pai da Eternidade, Príncipe da Paz. Do aumento deste principado e da paz não haverá fim, sobre o trono de Davi e no seu reino, para o firmar e o fortificar com juízo e com justiça, desde agora e para sempre; o zelo do SENHOR dos Exércitos fará isto." Isaías 9:6-7

ETERNAMENTE! JESUS O ÚNICO DEUS!
FELIZ NATAL!
Você digita "Feliz Natal" nas imagens do Google e não se vê nenhuma imagem alusiva a CRISTO, o verdadeiro MOTIVO DO NATAL... É assim mesmo, Jesus já dissera "o mundo jaz no maligno"... Portanto neste dia, NÃO SE ESQUEÇA DO VERDADEIRO MOTIVO DO NATAL: JESUS CRISTO. Lembre-se dele junto a seus familiares, gaste alguns minutos para agradece-lo pela VIDA!
ETERNAMENTE! JESUS O ÚNICO DEUS!FELIZ NATAL!


Pr André

domingo, 23 de dezembro de 2012

Críticas, Ana Paula Valadão e a nossa infelicidade



A tempos venho percebendo o quanto nosso povo tem se alfinetado nas redes sociais, e para algumas pessoas criticar quem está no topo, pode ser apenas uma forma de vingança, de uma incompetência pessoal e/ou ministerial.
Criticas construtivas são necessárias e muitas vezes por causa delas podemos melhorar muitas coisas que fazemos e/ou pensamos, mas quando a critica é apenas destrutiva temos que nos preocupar, pois ela só conseguirá ferir e escandalizar, e assim, em nada contribuirá para o crescimento do evangelho.
Vejo este comportamento humano com muita preocupação, pois ele pode ser decorrente de pré-conceitos infundados, vinda de mentes negativas e pessimistas e muitas vezes escondem um fanatismo religioso que em nada tem com defesa do evangelho.
Críticas muitas vezes são projeções de conteúdos nossos, um mecanismo de defesa do ego, uma forma de realizar um desejo, que neste caso é o de ferir respaldado em uma pseudo obrigação que alguns acham que tem em defender a qualquer custo o evangelho. Ainda que seja ferindo seu irmão.
Como defesa alguns criticam quando na verdade gostariam de estar fazendo exatamente o que esta pessoa faz e ou ter a coragem e oportunidade de estar nesta situação onde o outro é destaque.
Críticas muitas vezes são conteúdos projetados no outro, por ciúmes, inveja sentimentos de frustração, medo, complexos e elas sempre vêm acompanhadas de uma explicação deturpada da realidade com pré-conceito e a prova dessa verdade é que muitas vezes são destrutivas e, quem critica, não se importa em como o outro se sentirá, acha que tem o direito de ferir o outro, e pior ainda, usando como respaldo os ensinamentos de Cristo.
Observei como psicóloga algumas críticas em nosso meio feito por nós mesmos e percebi que muitas são desonestas, falaciosas, apenas para polemizar, mas também percebo que algumas até tem boas intensões mas se perdem no ideal e na forma .
Minha imaginação foi agora na época Cristã, e por uns minutos fiquei imaginando o quanto Cristo deve ter mexido com o fanatismo daquela época, com o senso critico, e por este fato o crucificaram, quem era Cristo para ousar ferir a tradição Judaica e a religiosidade tão enraizada? Imagino hoje Jesus dizendo “Pai perdoe, eles não entenderam nada”.

Medo do novo

O sucesso do outro nos afronta, mas somente quando não estamos seguros do que nossa fé representa para o mundo e para nós mesmos. Se conhecêssemos a Cristo como falamos, não criticaríamos tantos nossos irmãos por diferenças de gosto, opiniões e diferenças ministeriais.
O desejo de se importar com o que está acontecendo da vida do outro, de se meter na vida do outro, de maliciar, de interpretar de forma negativa tudo que o outro faz, ou pelo menos de quem está na mídia, já está se tornando um caso de saúde mental, isso sim é preocupante.
Tem coisas que até podemos discutir, como letra de música, estilo ministerial, mas nunca com crítica destrutiva sempre a título de discussão de aprendizado e conhecimento, respeitando as opiniões e atitudes do outro. Até mesmo nós, que estamos levantando o fato, podemos com as opiniões diversas, mudar nossa maneira de pensar .
Há coisas entre nós que é questão fechada como princípios de fé, (Jesus salvador, aceitar Jesus, santa ceia, mandamentos, trindade, Bíblia Sagrada, etc) e temos que lutar por eles, mas tem outras que tem haver com estilo, modo de ser, gosto pessoal que não necessariamente ferem esses princípios fundamentais do evangelho, porém podem sim estar ferindo o seu orgulho, sua frustração, desencadeando em você sentimentos de inveja, raiva e com isso sim temos que ter auto critica, ou seja,  sermos críticos e analisar com intuito de mudar nós mesmos.
Vou usar de exemplo Ana Paula Valadão.
Nas últimas semanas ví mais de 4 críticas publicadas em sites contra a Ana Paula Valadão que em minha opinião foram extremamente infantis, devido as polêmicas resolvi ver do que se trata e confesso, fiquei assustada com a maldade de alguns crentes, com o prazer e o ódio destilado em muitos comentários.
Minha pergunta enquanto psicóloga é :
  • Como se sente em criticar tudo que Ana Paula e/ou outra pessoa que está em evidência ?
  • Criticá-la vai tornar sua vida com Deus melhor?
  • Se sentirá mais feliz, vingada(0)?
  • Acredita que o evangelho lucrará com suas críticas ?
  • As pessoas que viram suas criticas foram edificadas?
  • Se a pessoa em questão, ficar sabendo que você a criticou, vai se sentir feliz?
  • O que mais afeta você neste caso, a defesa do evangelho? Ou o fato dessas pessoas estarem em evidência profissionalmente e ministerialmente?
  • A vida, os exemplos dessa pessoa (vítima das criticas) sua história com Deus, suas lutas e vitórias, seus sacrífícios, fazem diferença na hora de postar sua crítica destrutiva?
  • Quando faz suas críticas consegue avaliar que pode estar ofendendo e sendo injusto?
Essas perguntas pode nos levar a reflexão do real motivo de nossas críticas. Estes dias coloquei para discussão em meu Facebook, a letra de uma música que em minha opinião por sugerir uma “vingança” espiritual, me assustei com os comentários maldosos destinados a cantora que não era o foco ou seja quem crítica não tem senso critico é isso é grave. O nosso povo “pira” demais, fantasia, demoniza tudo e não se preocupa em ferir, como se a pessoa em questão não tivesse sentimentos, eu mesma tenho sido muito criticada por líderes que se assustam com minha ousadia. Como vim do mundão mesmo e sou muito atacada pelo mundo, me fecho para não me ferir mais, porém confesso, por diversas vezes quis abandonar minha luta por comentários maldosos de alguns crentes e pela falta de sensibilidade quanto a luta que travamos.
Me parece que para alguns, até o sofrimento de alguém quando se torna evidência, fere o ego.
Para encerrar, gostaria de dizer que pastor e pastora gordinhos deveriam sim fazer regime, pois sua vida é preciosa demais para o reino e a gordura faz mal para saúde, causa infartos, diabete, inúmeras doenças cardiovasculares que podem levar a morte, é fato. Controlar o apetite, ter uma alimentação saudável e se exercitar é muito saudável para todos. Essa é e a verdade que deveria ser incentivada.
Bolsas, sapatos de grife, se Deus te deu condições pra comprar e você tem sido fiel a Ele, aproveite e realize seu desejo e quem não pode comprar grandes marcas, tem marcas boas baratas. O importante é ser feliz com o que tem e pode, mas não invejar o outro por suas conquistas.
Já cantei e preguei em rodeios e os cawboys são do senhor Jesus sim, como os MMA eu creio. Se você não crê, tudo bem, são opiniões apenas, gosto pessoal, não faça disso uma guerra, um escândalo entre nós.
E por último, quem não curtiu homem aranha? Homem aranha é um clássico! Sou fã e assisti todos os filmes, mas você pode não gostar dele, têm muitos outros para você curtir.
Importante, o gesto que a família Valadão fez, não é do demónio, nem da Iluminati não povo!!! É apenas o gesto que o homem aranha faz quanto solta a teia para prender nos prédios, alooou!!! Nem tudo é demônio, mas desrespeitar a família ou a unção da pessoas e ridicularizá-la por uma frase apenas é muita maldade é fanatismo religioso, não condiz com um cristão e pasmem, não é isso que vai levá-lo para o céu. Sem farisaísmos.
Críticas destrutivas podem apenas ser projeções de nossos complexos de inferioridade ou inveja contida, desejo de estar no lugar do outo e/ou ter a coragem que ele(a) tem. Pode representar sua incapacidade de gerir sucesso alheio.
Temos que juntar nossas forças e energias para criticar o mundo que tanto tem afrontado a família de Deus e não perdermos tempos em criticar a nós mesmos. Faça isso em silêncio ou pessoalmente, é mais honesto e digno, ai sim é construtivo.
Somente o avanço da maldade humana é capaz de negligenciar toda uma vida reta com Deus, por causa de um gesto e ou de uma fala.

Marisa Lobo
@marisalobo
Fonte: Gospel Mais

Criação de Gênero Neutro: papel sexual e social sendo ameaçado


Criação de Gênero Neutro: papel sexual e social sendo ameaçado

Peço humildemente a todos que lerem este texto, que o republiquem em seus sites, blogs e redes sociais como forma de alerta e conhecimento do que está por vir, ou melhor, do que já está acontecendo em nossa nação, para que mais pessoas preocupem-se e resolvam sair da zona de conforto para uma ação definitiva de apoio à família tradicional Brasileira.
Como psicóloga profissional de saúde mental estou muito preocupada com o rumo que a nação vem tomando nos últimos anos, com relação à sexualidade da família, modelos, papéis sociais e sexuais, e com a forma como a mídia tem divulgado ações contra a família e pouco sobre a favor da mesma. Estou muito apavorada com o quanto pessoas estão sendo engolidas por ideologias mentirosas, maquiavelicamente engendradas, para desconstruir a família brasileira. Essas ideologias tem conseguido seu intento por falta de conhecimento, de entendimento, e por omissão do nosso povo, que é uma maioria calada e/ou uma maioria que sofre, mas, por medo, por não saber o que fazer e como lutar, se esconde em sua omissão, sem perceber acaba sendo conivente com esse golpe fatal contra a Família Biológica, Natural e Tradicional.
A observação faz parte de minha vida, até mesmo pela minha profissão, e posso dar um diagnóstico ao que observo: a família biológica, logo natural, tradicional, está sendo severamente ameaçada, por movimentos militantes do homossexualismo (partidário) com o apoio de uma psicologia (partidária) da sociologia (partidária) entre outras profissões que se mostram em sua militância (por gênero, política e ateísmo) uma faceta altamente antiética que tem não só envergonhado nossa nação, mas sendo péssima influência social e internacional, sem ideologia objetiva alguma. Apenas egoisticamente lutam por prazeres.
Mas falo aqui da minha profissão, que acho a pior de todas, que tem em sua diretriz claramente, e cobra dos profissionais com rigor, a não “indução” de conceitos. Hoje, age como uma “tirana” que tem como objetivo principal a “desconstrução da família”, “desconstrução de Deus”, “desconstrução da sexualidade humana”, apenas com um propósito: construir um império do desejo sem leis, regras, moral ou princípios, tentando criar uma nação sem identidade, somente para defender um gênero sexual, apenas a homossexualidade.
Esses movimentos surgem respaldados não pela psicologia puramente, aquela saudosa, que no seu início se preocupava sim com o sofrimento psíquico e bem estar de todos em igualdade, com a família como medida protetiva da saúde mental do sujeito, aquela psicologia, que nos ensinava a importância do modelo, pai, mãe, papel sexual, etc.
Hoje venho lamentar a perda da ideologia da psicologia. Hoje, esta se preocupa mais com a política partidária do contra, e está contaminada por militantes que nos últimos anos detém o poder, e que militam usando as minorias com a desculpa de construir uma sociedade justa com direitos igualitários, defendendo os aflitos, menores abandonados, os que sofrem etc. , quando apenas usam essas bandeiras sociais para na verdade, subir a escada para se chegar ao império de direito indiscriminado sexual, pois esse, segundo ele é o verdadeiro DEUS da humanidade , e é claro que quem reinará neste império SEXUAL, são os atuais césares (poderosos imperadores romanos de antes e depois de Cristo) que se julgam os mais sábios e os mais inteligentes. Entre os antigos césares, cerca de 90% eram homossexuais.
A hipocrisia e a mentira operam nessas causas, porque sabemos nós que eles somente usam os homossexuais, as prostitutas, as crianças sem famílias, como bandeira ideológica para conseguirem instituir seu império, se acham mais inteligentes que toda a nação, e quem ousa a reclamar, a não aceitar é imediatamente taxado de fanático, preconceituoso, politicamente incorreto, persona não grata. Logo se unirão em força de mídia, em todas as redes sociais e tentarão destruir a imagem dessa pessoa exatamente como fazem comigo, ou com o pastor Silas Malafaia, deputado João Campos, senador Magno Malta, e o pastor e deputado Marco Feliciano, ou ainda como fazem com muitos pastores , padres e profissionais que apenas se opõem, não concordam. Tentam nos desestabilizar pelo psicológico e pela imagem para nos ridicularizar perante a opinião pública, nos deixando assim desacreditados, e eles como vitimas e heróis e a sociedade… Bem esta gosta de heróis e fama.
Peço à nação brasileira independentemente da religião, da igreja, de sua posição política, e principalmente, a quem acredita em DEUS, que esteja alerta a esses movimentos, que não tenham medo de ser contrários, de questionar e não aceitar, pois estamos em um pais livre, de direitos à liberdade de expressão. Não aceitem de forma alguma essa mentira de que não podemos nos manifestar sobre o pretexto de nos fazerem homofóbicos e ou preconceituosos, pois é assim que se destrói os ideais de uma nação: colocando sobre ela um julgo, que ela não podendo carregar, se encolhe com o peso, a vergonha o medo. Assim nos impedem de falar e de agir, e os que agem assim, aceitam o peso, caminham com lentidão, enquanto esses militantes “livres” sem o peso que jogaram nas costas da sociedade, caminham a passos largos para destruir nossas famílias.
Família, senhoras e senhores, não é um ajuntamento de pessoas sem identidade, sem papel social, e/ou sexual. A definição de papeis faz parte da construção familiar e é importante não apenas para a proteção social, mas para a proteção da saúde mental do cidadão e da infância.
Estão roubando a infância de nossas crianças, querendo transformar nossos filhos em seres assexuados, apenas para colocar seu gênero sexual como parte do império e em conflito psicológico. Uma nação sem referência fica nas mãos de qualquer “Nero” (césar romano enlouquecido que incendiou Roma).
Já está em todas as redes sociais e se fortalecendo no mundo um movimento chamado “Gender Neutral Parenting” (criação de gênero neutro). É um movimento contrário aos padrões de gênero sexual, e que ganha espaço no mundo todo.  Com o slogan “Fuga dos padrões de gênero ‘convencionais’”, esse movimento pode formar uma nova sociedade no futuro.
A proposta é não mais fazer distinção entre meninos e meninas (sexo biológico), enxergando apenas uma criança que seria “de gênero neutro”. Ou seja independente do sexo biológico de seu filho, ele será criado sem referência que favoreça e que incentive seu sexo biológico,  incutindo assim na cabeça dessa família e dessa criança, que a criança deva ser criada de forma “assexuada”, pois isso a supostamente a tornaria mais inteligente e mais saudável. Seu sexo e o papel masculino e feminino está sendo descartado, e sendo assim, um menino pode usar roupas de meninas, e vice e versa, pois são uma coisa só, iguais. Ou seja: a criança pode fazer sexo com menino, com menina, casar a três, não importa. Essa seria a noção de família.
A ideia de que o ser social é influenciado pela sociedade é, em partes, uma grande verdade. A certeza de que o modelo familiar que constrói o sujeito é uma grande verdade. Sendo assim, querem enfiar goela abaixo na população mundial, através de alienação, indução, sugestão psicológica e inscrição cerebral este novo jeito de ser, que é o sonho daqueles que não acreditam em DEUS, e que fazem do sexo o grande DEUS do mundo.
Psicologicamente posso declarar que não podemos aceitar, pois o modelo familiar é necessário para segurança, para a construção da personalidade, dos afetos, autoestima, e a definição do papel social e sexual é a forma mais segura de garantir a saúde mental desse sujeito.
Especialistas sérios em todo mundo e mesmo psicólogos, médicos, psiquiatras e pediatras estão apavorados e criticando severamente essa tendência que está ganhando força, pois não somente fere a família tradicional, mas cria conflitos de geração de identidade muito maiores.   A falta de modelos definidos causa uma grande confusão e conflitos psicológicos nas crianças e vai ter efeitos maléficos mais tarde, inclusive em sua sexualidade, que é o principal objetivo desse movimento.
O que me constrange é que sabemos todos nós profissionais que estudamos saúde mental, que a elaboração do conflito de Édipo (Freud) de forma positiva com seu sexo oposto depende exatamente dessa definição de papéis. Como pode, profissionais aceitarem tal aberração, e de forma tão radical, sabendo que tal movimento é um engano, fere a própria ciência e o estado mental saudável de um ser humano? Não estamos falando aqui de cores, igualdade de direitos civis, e coisas comuns que tanto homens quanto mulheres podem fazer, e sim de uma maldade cometida por grupos que aproveitando do conhecimento de como o modelo, papel social e sexual, sendo importante na formação da masculinidade e feminilidade, por exemplo, pode ser útil para sua causa se forem “desconstruídos”. De forma perversa, esse modelo afronta a sociedade tradicional, pelo mais maléfico dos sentimentos, a “inveja” (Freud explica – e o diabo também).
Para a psicopedagoga Irene Maluf, mesmo de modo inconsciente, as crianças tendem a formular suas distinções de gênero observando o pai e a mãe: “É quase impossível, portanto, que uma criança seja criada completamente assexuada. Diferenciar gêneros é uma das bases do desenvolvimento”, afirma.
O psiquiatra Alexandre Saadeh, coordenador do Ambulatório de Transtorno de Identidade, de Gênero e Orientação Sexual do Hospital das Clínicas, em São Paulo, defende que dar opções à criança é válido, mas o exagero não é saudável. Forçar 100% uma situação de gênero neutro é irreal: “Isso pode causar o efeito completamente contrário e gerar um adolescente e um adulto muito confuso, que culpa os pais por isso”, ressalta.
Nossa nação está prestes a ser incendiada por loucos que acreditam que a infância deva ser formada sem referência, sem modelo, sem signos e ou símbolos que a definam. Essa posição, esse movimento não é só uma engenharia maquiavélica para transformar a sociedade e nossos filhos em bissexuais por cultura, como uma doentia forma de dominar a nação pelos grupos que se opõem a família tradicional, mas, e principalmente se opor aqueles como nós cristãos que acreditamos em DEUS e na fé como forma transformação social do bem comum.
Marisa Lobo
Fonte: Gospel Mais

sábado, 22 de dezembro de 2012

Cristianismo: mãe da liberdade política

"A liberdade não tem subsistido fora do cristianismo." Lord Acton

A força política mais libertadora na história da humanidade tem sido o cristianismo (Jo 8.36). O cristianismo ramificou-se do tronco da religião hebraica piedosa do Antigo Testamento, e a antiga nação hebraica (antes da era dos reis [1Sm 8]) foi sem dúvida a sociedade mais libertária na história da humanidade. O cristianismo herdou da fé veterotestamentária a crença inabalável no Deus soberano e transcendente, que está acima de todos e julga toda a humanidade, incluindo seus sistemas de governo civil. A ordem política nunca é suprema.

1. O Mundo Antigo

O cristianismo destruiu a unidade do antigo mundo pagão. A fonte dessa unidade era o Estado, geralmente identificado com a própria sociedade, no topo do qual estava um grande líder político, um rei ou imperador, que pensava ser um deus ou semelhante a deus. A unidade do antigo mundo pagão consistia na divinização da ordem temporal na forma do Estado.
Mas o cristianismo reconhecia "outro rei" (At 17.7). Embora não por meios anarquistas, os primeiros cristãos reconheciam que nenhuma autoridade terrena, especialmente autoridade política, poderia ser suprema, pois somente a autoridade de Deus é suprema.
Ao esclarecer a cristologia (a doutrina de Jesus Cristo) ortodoxa, o Concílio de Calcedônia (451 a.C.) lançou o fundamento da liberdade ocidental. Apenas Jesus Cristo é divino e humano, plenamente Deus e plenamente Homem, a única ligação entre céu e terra. Ele é o único Mediador divino-humano. Essa decisão repudiava dramaticamente toda divinização da ordem temporal. Nenhum Estado, nenhuma igreja, nenhuma família, poderia ser Deus ou semelhante a Deus.
Esse reconhecimento colocou o cristianismo patrístico em rota de colisão com a política clássica. Os primeiros cristãos foram perseguidos de maneira selvagem, não porque adoravam a Jesus Cristo, mas porque recusavam adorar ao imperador romano. As sociedades politeístas encorajam a adoração de divindades. Elas resistem à exclusão de todas as divindades, particularmente o Estado, excetuando-se a Divindade verdadeira, o Deus da Bíblia.

2. O Mundo Medieval

No mundo medieval, a Igreja Latina tornou-se uma força de compensação na sociedade, verificando e limitando a autoridade do Estado. De fato, na maior parte do tempo, o tamanho e a força da igreja excederam em muito a de qualquer Estado em particular. Lord Acton estava correto ao sugerir que a prática da liberdade política no Ocidente surgiu, em grande parte, a partir deste conflito medieval Igreja-Estado. Em adição, o mundo medieval, a despeito dos seus muitos defeitos, apoiou uma grande medida de liberdade política ao promover várias instituições humanas além da igreja que alegavam fidelidade ao homem: a família, a confraria, o senhor feudal, e assim por diante. Isso significou que o Estado tinha de compartilhar sua autoridade com outras instituições igualmente legítimas. Nenhuma instituição humana pode exercer autoridade suprema.

3. O Mundo Moderno

As limitações constitucionais do poder político, das quais surgiu a prática de democracias constitucionais dos séculos 18 e 19, começaram na Inglaterra cristã com a Carta Magna. A Inglaterra também realizou o primeiro ataque bem sucedido contra a doutrina maligna do direito divino dos reis durante a Revolução Puritana na primeira metade do século 17; e em 1688-89, durante a Gloriosa Revolução de Guilherme e Maria, ela colocou o último prego no caixão desta ameaça permanente à liberdade política. A fundação dos Estados Unidos foi a maior experiência em liberdade política daquele tempo, e ela funcionou conscientemente com base em certas premissas distintamente cristãs.
Os Fundadores, por exemplo, reconheceram a doutrina bíblica do pecado original e da depravação humana, e portanto criaram um sistema de governo civil que dividiu a tomada de decisão entre vários ramos e que não outorgou muito poder a nenhum ramo do governo civil. Segundo, eles argumentaram que o papel do governo civil é assegurar os direitos de "vida, liberdade e felicidade", com os quais Deus, como Criador, dotou todos os homens. Em terceiro lugar, reconhecendo a doutrina bíblica de que o governo civil deveria proteger as minorias (Ex 23.9), eles elaboraram uma constituição à qual juntaram uma Declaração de Direitos, inibindo assim o surgimento de uma tirania resultante de uma rápida mudança política segundo o capricho da opinião democrática.
A liberdade política como refletida na separação de poderes, bem como nas fiscalizações e contra balanços; o papel do Estado em proteger a vida, liberdade e propriedade; e a proteção constitucional dos direitos das minorias – todos estes foram legados do cristianismo ao mundo moderno.

4. A que ponto chegará o Ocidente?

Hoje o Ocidente definha sob a violência do aborto e eutanásia, a praga do homossexualismo, a pobreza do materialismo, a coerção do socialismo, o domínio da educação "pública", o caos do ativismo judicial, e a injustiça do racismo e sexismo impostos. Essas tiranias são todas o resultado direto do abandono do cristianismo bíblico. O mundo ocidental tem aceitado crescentemente a proposta daquele primeiro político liberal moderno, Jean Jacque Rousseau: o Estado emancipará você da responsabilidade para com todas as instituições humanas não coercivas, como a família, igreja e os negócios, se apenas você submeter-se à coerção do Estado. O homem moderno está disposto a negociar a sua responsabilidade para com a família, igreja e os negócios, trocando-a por submissão a uma ordem política crescentemente coerciva e violenta. Estamos retornando ao mundo pagão clássico, no qual o Estado coercivo é o princípio unificador de tudo na vida.
Os regimes políticos mais cruéis, violentos e assassinos na história da humanidade tem sido os não-cristãos ou anti-cristãos: o humanismo pagão primitivo dos antigos Egito, Babilônia, Pérsia, Grécia e Roma, e o humanismo secular sofisticado da França revolucionária, União Soviética, China Vermelha, Alemanha Nazista, Itália Fascista, e outros estados seculares modernos. O humanismo é e sempre será uma receita para o terror e tirania políticos.
A única esperança para o retorno da liberdade política e da sociedade livre que ela promove é um retorno ao cristianismo bíblico e ortodoxo. O cristianismo não é meramente uma matriz na qual a liberdade política floresce; ele é o único fundamento sobre o qual se pode construir uma sociedade livre.
Andrew Sandlin

Traduzido por Felipe Sabino de Araújo Neto e revisado por Jazanias Oliveira do site: www.lewrockwell.com
Publicado em português no site Monergismo.
Divulgação: www.juliosevero.com
Leitura recomendada:



Twitter: http://twitter.com/andrermendonca
Facebook: http://www.facebook.com/andrermendonca
Blog Novo Tempo: http://novotempoagora.blogspot.com/

BRASÍLIA, CAPITAL DA ADORAÇÃO - BRASIL, TERRA DO AVIVAMENTO
TERRA DA ADORAÇÃO AO ÚNICO SENHOR, JESUS CRISTO!

quinta-feira, 20 de dezembro de 2012

Cartórios do Estado de SP serão obrigados a habilitar casamento gay


Tempos difíceis para quem defende o evangelho com exatidão!

Todos os cartórios do Estado de São Paulo terão de habilitar obrigatoriamente homossexuais para o casamento civil. O Diário Eletrônico da Justiça publicou nesta terça-feira (18) alterações nas Normas de Serviço da Corregedoria-Geral que aplicam ao casamento ou à conversão de união estável em casamento de pessoas do mesmo sexo as regras exigidas de heterossexuais. A medida entra em vigor em 60 dias.


Os casais homossexuais não precisarão mais ter de registrar primeiramente a união estável para depois solicitar a conversão em casamento. Nem terão de recorrer à Justiça para garantir o casamento ou a conversão da união. Basta ir diretamente ao cartório de registro de pessoas naturais e solicitar a habilitação para o casamento.
O procedimento da Corregedoria pacifica decisões judiciais. Em setembro, um acórdão do Conselho Superior da Magistratura determinara o registro de casamento entre pessoas do mesmo sexo em São Paulo em todos os cartórios.
A norma administrativa terá efeito vinculante. “Agora, há a dispensa de provocação judicial. Os cartórios terão a obrigação de cumprir a regra”, explica Alberto Gentil de Almeida Pedroso, juiz assessor da Corregedoria. Recusas serão revistas pelo juiz-corregedor do cartório.
Fonte: Jornal O Estado de S. Paulo e Blog do Concon

quarta-feira, 19 de dezembro de 2012

Envergonhando Portas Abertas




Como um líder mal-escolhido pode desestabilizar uma boa organização

Julio Severo
O Irmão André fundou, décadas atrás, a famosa Missão Portas Abertas para ajudar cristãos perseguidos pelo comunismo e hoje pelo islamismo.
Portas Abertas teve uma influência decisiva na postura anti-marxismo que tenho hoje.
Contudo, dois meses atrás, precisei denunciar publicamente um artigo no site da Portas Abertas do Brasil que estava elogiando as revoluções marxistas. Logo depois de minha denúncia, o artigo foi modificado e o secretário-geral, Pr. Carlos Alfredo de Sousa, publicou uma nota pública, dizendo:
"… não tínhamos o objetivo de provocar o incentivo e a defesa de ideias de Marx ou qualquer outro sistema político e econômico, o trecho mencionado como marxista, contraditório aos valores da Portas Abertas, foi apagado. Não nos colocamos como defensores ou opositores de nenhum sistema político, nossa razão de ser passa longe disso".
O Pr. Carlos, que usou a estranha linguagem de "trecho mencionado como marxista" (como se o marxismo do texto fosse real apenas aos olhos de quem assim o quis ver), tratou as ideias de Marx não como uma ideologia que massacrou milhões de cristãos, mas como um mero sistema político e econômico, ainda reforçando que, sob sua liderança, Portas Abertas do Brasil não se colocava como defensora ou opositora de nenhum "sistema político".
Daí, com essa visão corrompida, Portas Abertas do Brasil, sob a liderança de Carlos, jamais poderia condenar o marxismo e nem mesmo mencionar o marxismo e o islamismo na sua feiura e crueldade contra os cristãos.
A postura que Carlos havia imposto em Portas Abertas difere frontalmente da posição de Portas Abertas na Alemanha, cujo excelente trabalho foi mencionado em apoio à declaração da chanceler alemã Angela Merkel, que disse que o Cristianismo é a religião mais perseguida do mundo hoje:
"A classificação feita pela filial alemã de Portas Abertas dos 50 governos no mundo que cometem mais opressão religiosa, por exemplo, enumera quase que exclusivamente nações de maioria muçulmana como a Arábia Saudita e o Irã ou governos marxistas como China e Coreia do Norte. Muitos desses mesmos nomes aparecem regularmente entre os 17 Países de Particular Preocupação citados pela Comissão de Liberdade Religiosa dos EUA por sua repressão. Portanto, os dois maiores inimigos mundiais da liberdade religiosa em geral e do Cristianismo em particular são vários seguidores de Maomé e Marx".
Portas Abertas da Alemanha não teve dificuldades de apontar o que Portas Abertas do Brasil sob Carlos não quis mencionar: o marxismo e o islamismo são as principais fontes de perseguição aos cristãos.
Precisei confrontar, em email pessoal, o Pr. Carlos sobre essa grave falha. Inclui também no email a informação de que ele havia matriculado, no ano passado, seu filho adolescente numa escola islâmica em São Paulo.
Ele não quis responder, de modo que segui o padrão bíblico. Primeiro, escrevi a ele. Depois, mandei o mesmo email com cópia para dois pastores, que serviram de testemunhas. Como ele não respondeu, o último recurso era publicar.
Entretanto, logo antes de eu tornar tudo público, Carlos foi desligado de Portas Abertas do Brasil, tornando aparentemente desnecessário implementar o último recurso. Mas agora, depois de seu desligamento, chegou-me a informação de que o homem anda viajando pela América Latina, inclusive Cuba, procurando apoio ou para desestabilizar Portas Abertas ou criar uma organização conforme sua imagem e semelhança: nada de apontar e denunciar o islamismo e o marxismo como sistemas opressores de cristãos.
Dá para entender a dificuldade dele para denunciar o islamismo. Afinal, se ele matriculou o filho dele numa escola islâmica, que faz lavagem cerebral islâmica nos alunos, ele não deve enxergar o islamismo como uma grande ameaça. Quanto à dificuldade dele de condenar o marxismo, só Deus sabe.
Portanto, depois de várias semanas de meditação e oração, resolvi tornar público o assunto que eu já havia tentado tratar diretamente com o Pr. Carlos.
Orem, por favor, por Portas Abertas do Brasil, para que Deus a livre de desestabilizadores.
Eis a correspondência de dois meses atrás:
---------- Forwarded message ----------
From: Julio Severo
Date: 2012/10/22
Subject: Contato importante (com testemunhas)
To: " Pr. Carlos Alfredo de Sousa, secretário-geral de Portas Abertas"
Cc: ALBERTO THIEME, Outro Pastor
Caro Pr. Carlos
Como não recebi nenhuma resposta sua aos meus três e-mails, precisei ir ao passo seguinte, de colocar mais duas testemunhas nesta situação. Os dois são homens idôneos: Rev. Alberto Thieme e Outro Pastor.
Este email, pois, vai com cópia aberta para os dois.
Neste passo, aguardo sua resposta com cópia aberta para as duas testemunhas.
Em Cristo,
Julio Severo
---------- Forwarded message ----------
From: Julio Severo
Date: 2012/10/19
Subject: Contato importante (terceira tentativa)
To: " Pr. Carlos Alfredo de Sousa, secretário-geral de Portas Abertas" <
carlos@portasabertas.org.br>
Caro Pr. Carlos
Envio-lhe meu email pela terceira vez, destacando esta passagem:
"Ora, se teu irmão pecar contra ti, vai, e repreende-o entre ti e ele só; se te ouvir, ganhaste a teu irmão; Mas, se não te ouvir, leva ainda contigo um ou dois, para que pela boca de duas ou três testemunhas toda a palavra seja confirmada." (Mateus 18:15-16 ACF)
A falta de posição de Portas Abertas, através de sua liderança, contra o marxismo e o islamismo e sua atitude de colocar seu filho numa escola muçulmana são um pecado contra o testemunho cristão.
Se eu não receber uma resposta sua até domingo, procederei para o passo dois.
Eis novamente meu email:
---------- Forwarded message ----------
From: Julio Severo
Date: 2012/10/15
Subject: Contato importante
To: Carlos Alfredo de Sousa <
carlos@portasabertas.org.br>
Caro Pr. Carlos
Vi a nota de Portas Abertas no site: http://archive.is/tuy8
Mas fiquei surpreso com esta frase: "Não nos colocamos como defensores ou opositores de nenhum sistema político."
No meu primeiro email pessoal a você, que agora é público, deixei claro o óbvio: o marxismo é muito mais do que um mero sistema político. É um cruel sistema de opressão, perseguição, tortura e matança de cristãos.
O Rev. Richard Wurmbrand denunciou o marxismo em vários de seus livros. Como você sabe, o falecido irmão Wurmbrand tinha um testemunho de ajuda à igreja perseguida a partir da própria experiência dele de vários anos de tortura e prisão num país comunista.
O testemunho do Irmão André é igualmente valoroso.
Por isso, estou incomodado que você e outros na direção de Portas Abertas não estão sendo claros em seu testemunho, e podem estar realmente ajudando a prejudicar o testemunho de Portas Abertas.
No meu primeiro email, deixei claro que marxismo e islamismo são as duas principais forças humanas de perseguição aos cristãos. Mas tanto sua resposta quanto sua nota pública evitam confirmar essa óbvia realidade.
O que está acontecendo? Chegou-me a informação de que você colocou seu filho de 17 anos numa escola muçulmana. Você pode me confirmar a veracidade dessa informação?
Estou falando com você em particular, como diz a Bíblia, porque esse é um assunto particular. O primeiro passo é falar diretamente com a pessoa envolvida, que no caso é você. O outro assunto só recebeu uma resposta pública porque vocês que estão na direção de Portas Abertas permitiram aquele artigo público, que provocou reação dos próprios leitores de Portas Abertas que, ao verem que seus protestos contra o texto não estavam recebendo atenção, me procuraram para refutá-lo.
Estou preocupado, não com Portas Abertas, mas com o testemunho dos que estão em sua direção.
Falo com você não como mero espectador da Igreja Perseguida. Como é de conhecimento público, hoje sou parte da Igreja Perseguida. Como representante da Igreja Perseguida, dirijo-me a você pedindo uma mudança de atitudes e posições.
Não tenho problemas com Portas Abertas, que muito me ajudou e inspirou na luta contra o marxismo que hoje faz parte da minha vida.
Mas tenho problema com os pontos específicos que mencionei acima.
Espero que este email possa incentivá-lo, da mesma forma como Portas Abertas sempre me incentivou.
Estou aguardando um texto público dos diretores de Portas Abertas contra o marxismo.
Do seu irmão perseguido que hoje está peregrinando em terra estrangeira,
Julio Severo




Twitter: http://twitter.com/andrermendonca
Facebook: http://www.facebook.com/andrermendonca
Blog Novo Tempo: http://novotempoagora.blogspot.com/

BRASÍLIA, CAPITAL DA ADORAÇÃO - BRASIL, TERRA DO AVIVAMENTO
TERRA DA ADORAÇÃO AO ÚNICO SENHOR, JESUS CRISTO!