segunda-feira, 29 de abril de 2013

Atenção: Sodomização da escola pública no Brasil. Vídeo. Assista!


"Abre a tua boca a favor dos que necessitam, pela causa de todos que são designados à destruição." Provérbios 31:8

FIM DOS TEMPOS!! 
PREPARE-SE, VOCÊ VAI ASSISTIR A REALIDADE DA SODOMIZAÇÃO DAS ESCOLAS PÚBLICAS BRASILEIRAS!!

ATENÇÃO!!!! ASSISTA esta pregação. Dra Damares Alves. Corajosa, atual!

--> Baixe p/ seu computador, antes que seja censurada, retirada do YOUTUBE! <-- b="">
(use o software "iLivid", baixe ele em: http://www.baixaki.com.br/busca/?q=ilivid&go

fácil e rápido pra baixar qualquer vídeo do youtube)

OREMOS COMO NUNCA pelas AUTORIDADES!!!! (preceito bíblico)

DIVULGUEM, COMPARTILHEM COM O MÁXIMO DE PESSOAS.





No espírito da ONU: Rev. Marcos Amaral e sua luta para acabar com a “intolerância” evangélica contra as religiões afro-brasileiras


Depois da enorme repercussão de um artigo dele desejando um derrame para Marco Feliciano, o Rev. Marcos Amaral apagou seu ofensivo texto original, que pedia vida longa ao ditador marxista Hugo Chávez.
Numa matéria desconcertante do GospelPrime intitulada "Reverendo Marcos Amaral explica
 sua posição a respeito de Feliciano," não houve nenhum pedido de perdão formal ou 
informal pelo desejo de derrame para Feliciano.
O que o GospelPrime mostrou foi um pastor se queixando de "incompreensões e perseguições injustificadas."
Rev. Marcos Amaral à esquerda
Em determinado momento, Amaral diz que ele é o único pastor evangélico na Comissão 
Contra a Intolerância Religiosa (CCIR), um órgão que tem se notabilizado especialmente
 por dar preferência para as religiões afro-brasileiras.

Um pastor pentecostal negro perseguido pela CCIR

O primeiro caso tratado pela CCIR envolveu um pastor da Igreja Evangélica Assembleia 
de Deus Trabalhadores da Última Hora em 2008. Segundo denúncia do meu blog na época:
"No Rio, um pastor pentecostal negro levou um criminoso a Jesus e o convenceu
 a se entregar à polícia. O Pr. Isaías da Silva Andrade acompanhou o 
ex-criminoso à polícia e quando lhe perguntaram como a vida dele havia sido transformada, o pastor respondeu que o ex-criminoso vivia sob a influência 
de demônios das religiões afro-brasileiras que o inspiravam a se envolver 
com conduta criminosa, mas agora ele encontrara salvação em Jesus. Por 
causa desse relato inocente, o Pr. Isaías está agora sofrendo ações criminais
 por discriminação contra a 'cultura' afro-brasileira! Se condenado, ele 
cumprirá sentença de dois a cinco anos de prisão".
Mesmo assim, o Rev. Marcos Amaral justifica sua presença numa entidade que começou
 perseguindo um pastor pentecostal negro que foi um instrumento de Deus na libertação 
de um criminoso escravizado a espíritos demoníacos.
Pr. Isaías da Silva Andrade
Amaral relata, em seu texto que não pede perdão a Feliciano, que a existência da CCIR se 
tornou fundamental depois que comissários da ONU visitaram o Brasil e constataram que existe intolerância contra as religiões afro-brasileiras. Na verdade, essa visita ocorreu depois que o 
pai-de-santo Ivanir dos Santos esteve, com o patrocínio na época do governo Lula, na ONU 
para denunciar as igrejas evangélicas.

O que o pai-de-santo Ivanir não contou e o que a ONU não quis ver

Em 2008, meu blog denunciou:
Em 20 de dezembro de 2008, foi assassinado no Rio Grande do Sul o Pr. 
Francisco de Paula Cunha de Miranda, de 47 anos. O pastor, que era negro (e não
 pode, nem depois de sua morte, ser acusado de "racismo"), estava no 33º dia de 
jejum de uma campanha de oração quando o pai-de-santo Júlio César Bonato, sob possessão da entidade "cultural" exu caveira, saiu do terreiro em pleno ritual para
 ir até o pastor.
O pai-de-santo voltou a seu ritual com sua faca ritualística ensangüentada.
O pastor, que estava bem fraco devido ao longo jejum, foi morto a golpes de faca.
Numa notícia de 2010, o G1 da Globo, com seu habitual descaso e omissão contra os cristãos,
disse:
Uma briga entre integrantes de duas religiões acabou em morte em Sapucaia do 
Sul (RS), na madrugada desta quinta-feira (11). Segundo a Brigada Militar, um 
grupo de evangélicos que realizava orações em uma área rural se encontrou com integrantes de uma religião de origem africana, que iriam realizar rituais na mesma
 região.
Houve uma discussão e dois evangélicos foram atingidos por facadas. Um deles 
teve ferimentos no pescoço e não resistiu. O outro foi ferido no abdômen e foi 
 encaminhado ao hospital.
Até esta manhã, ninguém foi preso.
É evidente que se as vítimas se enquadrassem no perfil de praticantes de alguma religião 
afro-brasileira, os agressores nunca ficariam impunes. A própria Globo teria dado o nome dos 
 evangélicos agressores e exigido enérgicas medidas governamentais. O próprio governo teria
 intervindo para garantir punição.
Pai-de-santo Ivanir dos Santos, fiel aliado de Amaral
Entretanto, considerando que o crime foi contra evangélicos, a Globo omitiu o nome das vítimas
 e não demonstrou nenhum interesse de exigir punição para os culpados. De forma oposta, o 
jornal Zero Hora deu mais detalhes e nomes, noticiando que oito evangélicos foram 
surpreendidos pela chegada de um grupo de cinco indivíduos de uma religião afro-brasileira. 
Houve um desentendimento e o evangélico Nilton Rodrigues, de 34 anos, foi esfaqueado e morto.
O pastor João Carlos de Oliveira escapou ferido e foi hospitalizado.
O Zero Hora revelou que, segundo o delegado Eduardo Moraes, amigos de Nilton contaram 
que antes de agredirem e matarem, os adeptos da religião afro-brasileira haviam lançado ofensas
 contra a religião da vítima.
Examinemos então a justificativa do Rev. Marcos Amaral: A Comissão Contra a Intolerância 
Religiosa, da qual ele e o pai-de-santo Ivanir fazem parte, tem de existir, pois a ONU viu 
intolerância evangélica no Brasil.
Amaral precisa estar presente na CCIR, pois essa é a vontade da ONU.

Fazendo a vontade da ONU?

Mas a ONU também criticou a suspensão do kit gay nas escolas. O que devemos fazer? Imitar
 o exemplo de Amaral e integrar grupos gays que sugam milhões do dinheiro público para 
promover a pornografia homossexual nas escolas? Devemos fazer a vontade da ONU?
A ONU também quer que o Brasil criminalize a "homofobia," isto é, que os cidadãos brasileiros 
percam sua liberdade de rejeitar e se expressar contra as repugnantes práticas sexuais dos 
homossexuais. O que devemos fazer? Imitar o exemplo de Amaral e se juntar aos grupos que 
querem a cabeça de Silas Malafaia, Marco Feliciano e Marisa Lobo por suas posturas contra 
os atos homossexuais? Devemos fazer a vontade da ONU?
No artigo do GospelPrime, Amaral assegurou que não é pai-de-santo nem bruxo. Mas se a 
ONU está se aliando aos bruxos para combater o "fundamentalismo" dos evangélicos do Brasil, 
o pastor presbiteriano não quer ficar de fora. Aliás, seu linguajar rotineiro de condenação ao "fundamentalismo" dos evangélicos reflete integralmente os sentimentos dos governantes da ONU.
Amaral tem sido fiel nesse chamado. Ele tem combatido publicamente o "fundamentalismo" de 
Marco Feliciano, se juntando a pais-de-santo e militantes socialistas para exigir a renúncia do pastor assembleiano da presidência da Comissão de Direitos Humanos (CDH) da Câmara dos Deputados, conforme registro filmado dele (http://youtu.be/x-qnPVrGRNE) em discurso na ABI, insinuando
 que Feliciano e outros evangélicos contra a agenda gay "querem aniquilar pessoas."

Amaral combate Feliciano e outros evangélicos contrários à agenda gay e à bruxaria como se
 eles quisessem queimá-los.

Presbiterianos do passado: lugar de bruxo era na fogueira

Bruxaria é algo sério e, séculos atrás, os presbiterianos agiam com muito mais rigor. Quando os presbiterianos da Escócia descobriram que seu maior pregador, Thomas Weir (1599-1670), 
era um satanista oculto que havia passado décadas praticando incesto, sexo com animais, 
bruxaria e muitos crimes sexuais e ocultos, eles lhe aplicaram uma sentença à altura: Weir foi 
condenado a morrer na fogueira.
Tenho certeza de que se aparecesse algum Amaral para defender Weir contra o "fundamentalismo"
 dos presbiterianos contra a bruxaria, uma sentença igualmente rigorosa poderia ser aplicada a ele.
Contudo, em vez de ser repreendido e denunciado, Amaral ocupa cargos elevados dentro da 
Igreja Presbiteriana do Brasil (IPB). Ele atualmente preside o Presbitério de Jacarepaguá e o 
Sínodo da Guanabara.
Rev. Marcos Amaral no Mackenzie do Rio junto com Roberto 
Brasileiro
Além disso, ele vem sendo badalado nos mais elevados círculos presbiterianos do Brasil, 
conforme foto acima, onde ele aparece de microfone na mão palestrando próximo ao Rev. Roberto Brasileiro, presidente do Supremo Concílio da IPB. A palestra dele foi dada no Mackenzie do Rio, que é ligado diretamente ao Mackenzie de São Paulo.

No Mackenzie: Amaral pode. Batalha espiritual não

O fascinante é que o Mackenzie tem em seu site textos e documentos que repudiam a prática 
de "batalha espiritual" defendida por grupos pentecostais e neopentecostais que compreendem
 que combater a bruxaria é muito mais do que só se engajar em discursos filosóficos. Atacam o que não sabem e acabam recebendo em seu meio Amarais e outros, que podem ser satanistas muito mais enrustidos e perigosos. Não lhes falta o discernimento apostólico, conforme se encontra na Bíblia, para reconhecer o mal?
Quando postei meu artigo sobre Amaral e seu desejo de derrame para Feliciano, tive uma experiência dessa guerra na mesma noite. Fui acordado e surpreendido com uma visão, logo depois da meia-noite, de um cadáver cercado de velas. Imediatamente, eu e minha esposa começamos a ser atacados.
Entendi que algumas forças espirituais não gostaram da minha denúncia. Meia-noite é o horário
 em que os adeptos da bruxaria estão mais ativos em seus trabalhos.
Nossa resposta? Oramos pedindo o fogo de Deus contra os trabalhos de bruxaria. Isso é 
guerra espiritual, quer o Mackenzie goste ou não. A guerra espiritual existe, quer aceitemos 
ou não.
Ainda que os presbiterianos de hoje não mais queimem bruxos, pelo menos deveriam evitar o extremo de criticar os que se engajam em guerra espiritual, sob o risco acolherem em seu meio Amarais ou até mesmo satanistas de alto nível — devidamente mascarados.
Deveriam fazer o que fez o pastor pentecostal negro que foi a primeira vítima da comissão 
contra a intolerância onde Amaral é membro. Deveriam pregar o Evangelho aos oprimidos 
pelo diabo e, mediante guerra espiritual, queimar os demônios deles.
Amaral, e outros evangélicos que o acolhem, precisam de um encontro de poder com o 
Espírito Santo.
Julio Severo


Twitter: http://twitter.com/andrermendonca
Facebook: http://www.facebook.com/andrermendonca
Blog Novo Tempo: http://novotempoagora.blogspot.com/

BRASÍLIA, CAPITAL DA ADORAÇÃO - BRASIL, TERRA DO AVIVAMENTO
TERRA DA ADORAÇÃO AO ÚNICO SENHOR, JESUS CRISTO!

sábado, 27 de abril de 2013

Modelo americana abandonou a Victoria’s Secret por motivos religiosos



Kylie Bisutti chegou a fazer parte do time de angels da marca de lingerie
Depois de um ano e dois meses, a ex-modelo americana Kylie Bisutti resolveu quebrar o silêncio e revelou o motivo de ter abandonado o posto de angel da Victoria’s Secret.

Em fevereiro de 2012, a moça deixou o mundo da moda por questões religiosas, logo após uma sessão de fotos para a revista masculina “FHM”. “Eu estava sendo paga para tirar a roupa e excitar os homens. Me senti como um pedaço de carne.

No dia seguinte, cai de joelhos e comecei a orar. Só queria respostas”, disse a modelo, que ganhou o cobiçado cargo na grife de lingerie ao vencer um concurso. “Na época do desfile, percebi que minha carreira estava enviando uma mensagem ruim para as mulheres sobre confiança e imagem corporal”.Longe das passarelas, Kylie trabalha atualmente numa linha de roupas cristã e no lançamento do livro “I’m No Angel: From Victoria’s Secret Model to Role Model”, que chega às livrarias dos Estados Unidos no dia 14 de maio.

“A publicação espalhará a ideia de que a beleza não está em sua aparência, mas em seu coração”, entregou a modelo em entrevista ao jornal “The New York Post”.

Fonte: Ela – O Globo


Encontro ecumênico no Congresso Nacional reúne gays, socialistas e protestantes tradicionais



Na quarta-feira (24 de abril) a Frente Parlamentar em Defesa dos Direitos Humanos (FPDDH), criada para fazer oposição à Comissão de Direitos Humanos e Minorias sob a presidência do Dep. Marco Feliciano (PSC-SP), se reuniu com líderes de igrejas apóstatas para tratar pretensamente da situação de "direitos humanos," cujo centro, na visão deles, são os direitos homossexuais.
Entre os militantes da FPDDH estão os deputados Jean Wyllys e Chico Alencar (PSOL-RJ), Domingos Dutra (MA) e Erika Kokay (DF), ambos do PT, entre outros socialistas.
Jean Wyllys
A reunião, que aconteceu às 14h na Câmara dos Deputados, teve como convidados oficiais representantes do Conselho Mundial de Igrejas (CMI), do Conselho Nacional de Igrejas Cristãs do Brasil (CONIC) e da Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil (IECLB).
O CONIC já se manifestou publicamente contra a permanência de Marco Feliciano na Comissão de Direitos Humanos.
Aparentemente, a reunião com as igrejas apóstatas e Jean Wyllys e seus aliados teve como objetivo mostrar ao público brasileiro que o Cristianismo de Marco Feliciano não representa os evangélicos do Brasil.
A pergunta que podemos fazer é: qual é a espécie de cristianismo do CONIC, CMI e IECLB?
O CONIC é presidido pelo Rev. Walter Altmann. O discurso de Altmann, que tratou de ecumenismo e do papel das igrejas católicas e evangélicas tradicionais contra o governo militar no Brasil, foi elogiado por Wyllys.
Walter Altmann
É fato que Altmann atuou como opositor ao governo militar do Brasil. Durante os anos do governo militar, há registros de que Altmann recebia ajuda soviética para engajar as igrejas no apoio ao comunismo. Ele foi atuante no Conselho Mundial de Igrejas (CMI).
O CMI, além de suas habituais atividades pró-socialismo, é conhecido por um amplo ecumenismo, que envolve até mesmo ativistas gays e adeptos das religiões afro-brasileiras, conforme imagem que mostra representantes dessas religiões e militantes homossexuais do grupo Harpazo, numa foto tirada na reunião de fevereiro de 2006 do CMI em Porto Alegre. Ao fundo, imagem da LBV.
Reunião ecumênica do CMI em Porto Alegre em 2006
A IECLB, onde Altmann já foi presidente, é também famosa por adotar as bandeiras do socialismo. Seu maior seminário no Brasil, a Escola Superior de Teologia (EST) em São Leopoldo, tem como um de seus professores o Rev. André Sidnei Musskopf, autor do livro "Talar Rosa," que defende a teologia gay.
Em 2006, Luiz Mott, considerado o líder do movimento homossexual do Brasil, deu um discurso na EST atacando o conservadorismo evangélico, bem debaixo do nariz dos reverendos luteranos esquerdistas, que o aplaudiram.
Pelos padrões da Bíblia, essas igrejas e grupos seriam considerados apóstatas. E ativistas gays como Jean Wyllys sabem que os apóstatas são a melhor arma para confundir os cristãos do Brasil que se opõem à agenda gay.
Tempos atrás, Wyllys havia dito que os calvinistas são aliados do movimento gay. Agora, outros aliados se uniram a ele: CONIC, CMI e IECLB.
Se todas as esquerdas estão contra Marco Feliciano, Altmann jamais poderia ficar de fora. A presença dele numa reunião de Wyllys contra Feliciano mostra que, mais do que nunca, o líder luterano está determinado a combater o conservadorismo cristão. Se nas décadas de 1960 e 1970 ele recebia dinheiro soviético para ajudar os comunistas do Brasil, hoje ele recebe dinheiro não se sabe de quem para continuar suas atividades socialistas.
Infelizmente, grandes mídias evangélicas do Brasil, como GospelPrime e GospelMais, em vez de tratarem essas igrejas como apóstatas, as apresentam simplesmente como "igrejas cristãs", como se de fato seguissem a Cristo.
Na minha opinião, ao fazerem tal apresentação equivocada, essas mídias violam um dos Dez Mandamentos, que ordena: "Não darás falso testemunho."
Com informações do GospelPrime e GospelMais.
Julio Severo


Twitter: http://twitter.com/andrermendonca
Facebook: http://www.facebook.com/andrermendonca
Blog Novo Tempo: http://novotempoagora.blogspot.com/

BRASÍLIA, CAPITAL DA ADORAÇÃO - BRASIL, TERRA DO AVIVAMENTO
TERRA DA ADORAÇÃO AO ÚNICO SENHOR, JESUS CRISTO!

sexta-feira, 26 de abril de 2013


Lula vai "escrever" no mais importante jornal do mundo, o New York Times. Veja abaixo comentário na coluna de Augusto Nunes na VEJA:


"....................... Qual seria o real interesse do The New York Times num artigo assinado por ex-presidente brasileiro que não é, nem nunca quis ser, conhecido por seus dotes intelectuais? E que será escrito por terceiros ou segundos, provavelmente Luiz Dulci, diretor do Instituto Lula e companheiro letrado de todas as horas?
Qual seria o verdadeiro interesse de um superjornal, que até em seu célebre obituário tem redatores com potencial para ganhar o Prêmio Pulitzer, por pensatas “escritas” por um ex-presidente sul-americano que o mundo tem na conta de um homem sem qualquer instrução?
Como nem os Estados Unidos nem o NY Times dão ponto sem nó, praticando com desenvoltura a política do “take there, give me here”, desconfio, apenas desconfio, que a moeda de troca dessa estranha coluna lulista seja o site em português, para brasileiros e falantes lusófonos, que o NY Times pretende instalar em 2013, provavelmente no Rio de Janeiro, sede da final da Copa e dos Jogos Olímpicos, como parte de sua estratégia de recuperação de mercado, agora globalizado. A equipe de jornalistas brasileiros está sendo recrutada neste momento. Os países emergentes, notadamente China e Brasil, nos quais há perspectiva de grandes negócios para empresas americanas, potenciais anunciantes do jornalão, são os alvos da vez. O jornal norte-americano já tem um site em chinês, em Beijing.
O NY Times em português, no Brasil, para brasileiros? Pode? Bem, a legislação brasileira relativa à mídia em tese veta empresas estrangeiras produzindo material em português para nosso mercado interno. Mas sempre se pode dar um jeitinho. Nada é impossível para Superlula, hoje o mais influente e mais caro lobista brasileiro, dentro de um governo que é sua cara escarrada.
E o que ele tem a ganhar com uma coluna no NY Times? O que qualquer um de nós ganharia: mais prestígio internacional. Para um palestrante de 200 mil dólares a hora, isso equivale a upgrade de cachê, a aumento do poder de influência. O NY Times é uma supergrife do mundo capitalista. E Lula levou a sério a oferta do jornal – na assinatura do contrato, em Manhattan, tinha como assessores jurídicos profissionais de uma superbanca do Brasil.
Falta saber se Lula será pautado pelos editores do jornal ou “escreverá” sobre temas de sua escolha. Nesse caso, é claro que Lula e o Brasil Maravilha que ele descobriu em 2002 serão sempre o assunto central de seus textos. Por certo, ele também dará conselhos de estadista e cientista político instintivo a governantes de países em crise.


Com tudo isso, o convite a Lula para ser colunista do mais influente jornal do mundo ainda é muito menos chocante que seria Dilma como professora convidada em Harvard."

... tempos "modernos" vivemos!! ... Lula, colunista do NYT! Tem "gosto" pra tudo até mesmo na roda dos pseudo-inteligentes. Lula agora degustado pela elite novaiorquina? hummm dificil... muita água por debaixo da ponte e dólares em contas nada secretas!


Fonte: Augusto Nunes - VEJA

quarta-feira, 24 de abril de 2013

Crescimento evangélico chama atenção em meio aos políticos



Todas as polêmicas que estão girando em torno do pastor e deputado federal Marco Feliciano desde que ele se tornou presidente da Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara dos Deputados está chamando atenção para a grande atuação política de parlamentares evangélicos no Brasil.
O jornal O Estado de São Paulo fez um levantamento onde mostrou que a maioria dos parlamentares evangélicos irá concorrer novamente em 2014, e que os evangélicos tem um número maior parlamentares que os católicos atuando em meio a política.
No Congresso Nacional, já é conhecida a atuação da chamada Bancada Evangélica, que envolve 70 deputados federais e 3 senadores. Em apenas três Estados (São Paulo, Paraná e Pernambuco) possuem bancadas evangélicas oficiais. Nas outras Assembleias estaduais, os deputados evangélicos atuam como grupo de forma pontual.
Segundo o Censo 2010, o Brasil tem cerca de 42,3 milhões de pessoas se declarando evangélica, cerca de 22,2% de sua população. Atualmente, todos os Estados têm evangélicos militantes em suas Assembleias.
Somente no Rio Grande do Norte (região com maior índice de representação política) e na Paraíba existe a mesma proporção de evangélicos e católicos militantes: 4% e 1%, respectivamente. Chama atenção o quadro no Piauí, proporcionalmente o Estado mais católico do Brasil, que não tem nenhum militante católico na Assembleia. Embora sejam apenas 10% de evangélicos na população, 6% de deputados são evangélicos.
O jornal deixa claro que seu levantamento excluí os deputados evangélicos e católicos cuja religião não é destacada na sua busca por votos nem na sua atuação parlamentar. Os políticos que preferem usar a religião como aspecto essencial de seus mandatos, fazem articulações políticas mais amplas, independentemente da posição dos partidos e conseguem resultados que mostram sua força.
Confira abaixo o gráfico do levantamento:


terça-feira, 23 de abril de 2013

Contrato feito após ida de Lula à Costa Rica é investigado.



Contrato feito após ida de Lula à Costa Rica é investigado.




Licitações vencidas por construtoras brasileiras no exterior para execução de obras que tiveram o apoio de Luiz Inácio Lula da Silva são investigadas por suspeita de corrupção e irregularidades.

Na semana passada, o chefe do Ministério Público da Costa Rica, Jorge Chavarría, determinou a abertura de investigação sobre a concessão, por 30 anos, da rodovia mais importante do país à OAS, que desembolsará US$ 524 milhões. Estima-se que ela recupere o valor em cinco anos e arrecade US$ 4 bilhões na vigência do contrato.
O Ministério Público investigará se houve tráfico de influência e enriquecimento e associação ilícitos. O inquérito se baseia em petição de advogados, segundo a qual o contrato tem "a finalidade de enriquecer a OAS".

Os advogados alegam ainda que houve pagamento de propina. "A história não conhece um caso tão evidente de corrupção em nosso país."

A comissão de controle da Assembleia Nacional também abriu investigação. "A rodovia será a mais cara da América Latina: cada quilômetro custará US$ 9 milhões", disse o deputado José María Villalta. No Brasil, o custo de 1 km é um terço disso, segundo o Dnit (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transporte).

Parlamentares também questionam o fato de o ministro de Obras Públicas e Transportes, Pedro Castro, ter assessorado a OAS antes de assumir o cargo, além de o contrato isentar a empresa de pagar alguns impostos.

VIAGENS
A OAS recebeu a concessão após viagem de Lula em agosto de 2011, paga pela empreiteira. Naquele momento a empresa tentava entrar no mercado local, mas a imprensa questionou o papel do ex-presidente nas negociações.

Meses depois, o governo anunciou a concessão. Como a Folha revelou, empreiteiras bancaram viagens para quase metade dos países visitados por Lula depois que ele deixou o Planalto. O petista declarou que elas servem para "vender" produtos brasileiros no exterior.

"A OAS patrocinou a visita de Lula, o sentou com a presidenta [Laura Chinchilla] e o processo da rodovia se acelerou", disse Nuria Badilla, que fez passeata contra a obra na semana passada.

UNESCO
No Panamá, obra da Odebrecht gera polêmica por estar em área eleita pela Unesco como Patrimônio da Humanidade. Lula visitou parte do projeto em 2011, em viagem bancada pela empresa, e depois teve jantar com o presidente panamenho e o diretor da empreiteira no país.

Vencida pela Odebrecht, a licitação de US$ 777 milhões previa um túnel sob o mar. Após a concorrência, o governo autorizou a construção de um aterro. Com aditivos aprovados, o valor a ser pago até 2016 é de US$ 782 milhões.

Segundo Ramón Arias, advogado que assina pedido de investigação feito pela Sociedade de Engenheiros, a ponte custa menos que o túnel e gera ganho ilegal de US$ 480 milhões para a empreiteira.
"Engenheiros calculam que o custo da obra é de menos de US$ 300 milhões", disse Arias. A Unesco notificou o Panamá, que pode perder o título se não alterar a obra.

Fonte: UOL



Twitter: http://twitter.com/andrermendonca
Facebook: http://www.facebook.com/andrermendonca
Blog Novo Tempo: http://novotempoagora.blogspot.com/

BRASÍLIA, CAPITAL DA ADORAÇÃO - BRASIL, TERRA DO AVIVAMENTO
TERRA DA ADORAÇÃO AO ÚNICO SENHOR, JESUS CRISTO!

Uma matéria em que não podemos ser reprovados

Uma Matéria Em Que Não Podemos Ser Reprovados

"Quem subirá ao monte do SENHOR, ou quem estará no seu lugar
santo? Aquele que é limpo de mãos e puro de coração, que não
entrega a sua alma à vaidade, nem jura enganosamente" (Salmos 24:3, 4).

Em uma publicação mensal de Moody, George Sweeting escreveu
sobre a desesperada necessidade de honestidade em nossa
cultura. Ele se referiu a Dr. Madison Sarratt, que ensinou
matemática na Universidade de Vanderbilt por muitos anos.
Antes de dar um teste, o professor costumava prevenir sua
classe da seguinte maneira: "Hoje eu estou aplicando dois
testes - um em trigonometria e o outro em honestidade. Eu
espero que você passe em ambos. Se você tiver que falhar em
um deles, é melhor falhar em trigonometria. existem muitas
pessoas boas no mundo que não conseguem passar em
trigonometria, mas existem pessoas más no mundo que não
conseguem passar pelo teste de honestidade."

Refletindo em nossa história inicial, podemos compreender
que nada nesse mundo deve nos afastar do que é correto, do
que edifica, do que conduz a uma vida santa diante de Deus.
Lutas, todos têm. Decepções, muitos têm. Dificuldades em
diversas áreas, é comum a todos nós. Mas, uma vida colocada
diante do altar do Senhor é fundamental para que
experimentemos verdadeiros momentos de alegria e felicidade.

Ser honesto, espiritualmente, é fazer a vontade do Senhor
como nos é ensinado nas Sagradas Escrituras. Com Cristo no
coração, nosso amor é mais real, nossa fé é mais positiva,
nossa obediência é mais espontânea, nossa vida é mais
brilhante. Podemos até ser reprovados em alguns de nossos
propósitos, porém, jamais deveremos ser reprovados em nossa
sinceridade e fidelidade a Deus.

Não podemos esquecer que jamais poderemos enganar a Deus.
Ele tudo sabe e tudo vê e a nossa desonestidade espiritual
só nos afastará de Sua presença e de Suas maravilhosas
bênçãos.

Quero estar diante do Senhor com meu coração puro e com
minhas mãos limpas. E Você?



Paulo Barbosa
Um cego na Internet
http://www.ministeriopararefletir.com



Twitter: http://twitter.com/andrermendonca
Facebook: http://www.facebook.com/andrermendonca
Blog Novo Tempo: http://novotempoagora.blogspot.com/

BRASÍLIA, CAPITAL DA ADORAÇÃO - BRASIL, TERRA DO AVIVAMENTO
TERRA DA ADORAÇÃO AO ÚNICO SENHOR, JESUS CRISTO!


Feliciano merece um derrame, segundo pastor presbiteriano


"É engraçado, me perdoe a indelicadeza, heresia e falta de modéstia, mas as vezes acho que se eu fosse Deus eu faria melhor do que Ele, vejam se concordam comigo... Colocaria o pastor [Marco Feliciano] para ter derrame."

Alguns poderiam apontar para essas palavras e dizer: "É um pai-de-santo!" Outros: "É um bruxo!"
Quase isso. Essas palavras foram exprimidas, em seu blog pessoal, pelo Rev. Marcos Amaral, que também disse que se fosse Deus, daria a vida a quem ele acha que precisa. Ele declarou: "O Hugo Chávez, por mim, estaria vibrante e símbolo da esperança de uma América Latina sofrida e cansada de espólio e enganos dos oportunistas patrícios ou gringos."

Ele não está sozinho na admiração a Chávez. Recentemente, Ariovaldo Ramos, líder da Teologia da Missão Integral, disse: "O melhor que se pode dizer de alguém é que, porque ele passou por aqui, o mundo ficou melhor! Isso se pode dizer de Hugo Chávez!"
Como Amaral, Ramos também discorda de Marco Feliciano na presidência da Comissão de Direitos Humanos (CDH) da Câmara dos Deputados.
Os dois não são bruxos. Mas sua paixão por Hugo Chávez mostra sua inclusão na irmandade esquerdista universal. Se todas as esquerdas admiram Chávez, Amaral e Ramos não podem ser diferentes. Se todas as esquerdas querem Feliciano fora da CDH, Amaral e Ramos não querem sair do padrão ideológico.
Até onde se sabe, os dois não são bruxos. Mas um deles, Amaral, anda tranquilamente com bruxos. Numa manifestação recente contra Feliciano, Amaral se uniu a artistas e pais-de-santo para exigir a renúncia do pastor assembleiano.
O Rev. Marcos Amaral não é um pastor qualquer. Segundo informações de seu blog pessoal, ele atualmente preside o Presbitério de Jacarepaguá e o Sínodo da Guanabara da Igreja Presbiteriana do Brasil (IPB).
Seu envolvimento com pais-de-santo vem de anos de alianças e trabalhos conjuntos, principalmente com o pai-de-santo Ivanir dos Santos.
pai-de-santo Ivanir dos Santos

Em 2009, o pai-de-santo Ivanir, com o patrocínio direto do governo Lula, participou de uma conferência da ONU para denunciar os evangélicos do Brasil. Ivanir, que representa o candomblé, lidera uma campanha governamental de "combate à intolerância religiosa." Essa campanha conta com o apoio de seu fiel aliado: o Rev. Amaral, que já foi denunciado várias vezes, durante anos, no meu blog. Amaral, que já demonstrou ter horror às igrejas neopentecostais, parece não ter o mesmo sentimento quando luta lado a lado de pais-de-santo nas campanhas governamentais contra o preconceito e a discriminação às religiões afro-brasileiras.
Ao desejar um derrame para Feliciano, Amaral espelha muito bem os desejos de um bruxo.
Ele é um bruxo? Não sei.
Mas me lembro de um caso famoso. Thomas Weir (1599-1670), um pregador presbiteriano escocês, escondeu durante décadas que era satanista. Esse caso, de séculos atrás, deu origem ao best-seller sobre Jekyll e Hide.

O caso Jekyll e Hide, ainda que de modo figurativo, demonstra que os satanistas podem ocupar o púlpito de igrejas evangélicas sem que muitos não desconfiem de nada.
O perigo maior está em evangélicos que têm a aparência teológica impecável de Weir, escondendo todo traço de satanismo.
No caso do Rev. Marcos Amaral, as aparências falam até demais, e não deixariam ninguém surpreso se descobrissem que há um Jekyll nele.
Ele era para ter sido removido da liderança na IPB anos atrás, mas não se sabe por que ele tem sido beneficiado com uma estranha impunidade eclesiástica. Será que outros líderes são maçons demais, ou negligentes demais, para confrontá-lo e puni-lo?
Ou vão esperar que ele se torne um pai-de-santo para fazer um despacho de derrame para Feliciano?
Julio Severo


Twitter: http://twitter.com/andrermendonca
Facebook: http://www.facebook.com/andrermendonca
Blog Novo Tempo: http://novotempoagora.blogspot.com/

BRASÍLIA, CAPITAL DA ADORAÇÃO - BRASIL, TERRA DO AVIVAMENTO
TERRA DA ADORAÇÃO AO ÚNICO SENHOR, JESUS CRISTO!