terça-feira, 2 de abril de 2013

Europa: igrejas católicas e evangélicas vendem seus templos

Futuro sombrio para a Igreja não somente na Europa mas também em todo mundo. Relativação dos valores morais e cristãos, frieza espiritual, distanciamento cada vez maior do evangelho puro e genuíno, trocando-se a graça e a obra do Calvário através de CRISTO pelo mundanismo, racionalismo e princípios ateus!
Esse é o caminho que a Europa tem escolhido.
Mas e nós, e o Brasil? Qual caminho escolheremos??

LEIA abaixo a matéria sobre a venda de templos na Europa, veja as fotos!  (As fotos não são dos templos citados no texto, porém são exemplos marcantes e reais da frieza do evangelho na Europa).

Igreja virou parque de skate

O mesmo mal aflige protestantes e católicos na Alemanha. Sob o título “Inmobilien ‘, a Igreja Católica tenta vender, a qualquer preço, numerosos templos que perderam seus fiéis. Por exemplo, na cidade de Loitz o preço de uma igreja construída no século passado é de 20.000 euros, e inclui uma área de 1.057 metros quadrados. Anúncios como o acima podem ser lidos no site da Arquidiocese de Berlim. 
Mas esta situação não afeta apenas os católicos. A Igreja Protestante está enfrentando uma situação semelhante. O igreja decidiu usar as ferramentas da tecnologia da informação para ajudar na venda de templos que não podem mais ser sustentados, por falta de dinheiro e de membros.
Para facilitar a venda de seus templos, os evangélicos criaram uma página na internet que anuncia a venda de cerca de 170 igrejas e casas paroquiais e 140 terrenos baldios.

Igreja na Holanda virou um café
 


ESTATÍSTICAS
Segundo as estatísticas oficiais, na Alemanha existem atualmente menos de 10% de católicos e 17 % a menos do que havia protestantes no início dos anos noventa.
A igreja protestante fechou, entre 1990 e 2010, 340 templos, dos quais 46 foram demolidos e outros 1000 podem ser fechado nas próximas duas décadas. O Pastor Maiwack Reinhardt explica este fato em poucas palavras: “Entre 120.000 e 150.000 pessoas a cada ano deixam a Igreja.”
Os números da Igreja Católica são semelhantes. De acordo com o relatório anual 2011-2012 da Conferência Episcopal, em 2011, 126.488 pessoas deixaram a Igreja Católica, uma fuga que obrigou os bispos a fechar mais de 400 templos. ”Nos próximos 10 anos, cerca de 700 igrejas deixarão de ser usadas para celebrar a liturgia”, disse o porta-voz da Conferência Episcopal, Mathhias Kopp.
Igreja virou a sede de uma empresa

MESQUITA
A grande maioria dos templos que são vendidos são convertidos em restaurantes atraentes, pistas de dança e escritórios de luxo como aconteceu com igreja protestante Stephanuskirche, no elegante bairro de Eimsbüttel em Hamburgo. O Mosteiro Geistingen, perto de Colônia,  foi transformado em um complexo habitacional de luxo.
No início de fevereiro o templo da igreja protestante lapernaum localizada no bairro  Hamburg-Horn, e que ainda ostenta uma torre de 44 metros de altura, foi adquirido por uma comunidade muçulmana, para ser convertido na construção de uma mesquita. ”O que era uma casa de Deus, continuará a ser uma casa de Deus”, disse Daniel Abdin, o líder da comunidade muçulmana Al-Naour. ”A casa vai estar aberta a todos que desejam visitar”, disse ele. 
Esta comunidade divulgará ao público um pouco do que planeja na remodelação do edifício e prometeu que a fachada permanecerá a mesma e que o famosa torre não vai ser transformada em um minarete.
O edifício deixou de funcionar como uma casa de culto em 2002 e em 2005, foi comprada por um empresário que prometeu transformá-lo em uma creche. O projeto nunca prosperou e, no final de 2012, a comunidade Al-Naour a comprou.
Igreja virou um centro do empreendedor

POLÊMICA INÉDITA
A igreja protestante reformou os seus estatutos, em 2007, proibindo a possibilidade de que um templo foi convertido em uma mesquita, mas o movimento não afetou a venda templo em Hamburgo.
Também os contratos de venda de templos da Igreja Católica incluem, desde 2003, uma cláusula que impede a conversão de uma igreja em uma mesquita.
Na tentativa de mediar a situação, o bispo de Hamburgo, Fehrs Kirsten disse que queria trazer um diálogo sem preconceitos entre cristãos e muçulmanos.
Esta visão não é compartilhada pelo pastor Russ Ulrich, que disse que a substituição do crucifixo pelocrescente deixou claros os efeitos negativos da secularização e os desejos da religião muçulmana de continuar a expandir o seu poder na Alemanha.
O bispo auxiliar católico de Hamburgo, Hans-Jochen Jaschke, foi um pouco mais longe e se atreveu a classificar a operação de venda da igreja evangélica como uma desgraça. Disse também que é impossível misturar o cristianismo com o Islã, uma visão que foi apoiada pela direção regional da CDU, o partido da chanceler Angela Merkel.
A controvérsia em torno da igreja convertida em mesquita chegou na semana passada a um grau perigoso quando cerca de 300 neonazistas fizeram um protesto para impedir a “heresia”. Imediatamente o grupo contra os nazistas de Hamburgo  chamou seus membros a tomar posição nas proximidades da igreja.
Graças à intervenção  da polícia, o episódio não avançou muito, mas o conflito ainda está presente.
Igreja à venda

Igreja à venda

Fonte: Fuerza Latina Cristiana

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gentileza não escrever em LETRA MAIÚSCULA. Por favor, respeite. Palavrões, ofensas e coisas do gênero não serão aceitos. Muito obrigado. Deus o abençoe.